Segmentos de mercado

Pgina inicial do IPT   >   Centros Tecnológicos   >   Colunas técnicas

Vesturio de alta visibilidade: segurana e tecnologia


por Gabriele Paula de Oliveira e Rayana Santiago de Queiroz


Colete de segurança com lâmpadas flexíveis eletroluminescentes. A tecnologia permite a lavagem do colete, bem como a sua utilização em locais com água ou chuva contínua por mais de 30 horas. Fonte: www.oryontech.com
 

Os vestuários de alta visibilidade vêm sendo utilizados com frequência em atividades que visam à garantia da segurança do usuário, bem como dos demais envolvidos, principalmente em uso externo. São amplamente utilizados, por exemplo, em funções ligadas ao transporte: motofrete, mototáxi, pistas de pouso e decolagem em aeroportos, manutenção de rodovias e ferrovias, entre outros. Estes vestuários compreendem trajes pessoais de proteção e segurança, cujo objetivo é garantir a visibilidade diurna e noturna do usuário, pelo emprego de materiais retrorrefletivos e fluorescentes.

Os materiais retrorrefletivos permitem a reflexão da luz no sentido oposto da fonte com o mínimo de dispersão, quando incidida sobre a superfície, mesmo em condições adversas como fumaça, neblina e chuva. Uma vez que tais trajes devem garantir um contraste com os ambientes de utilização, sob certos iluminantes, o emprego de materiais fluorescentes – devido à sua propriedade de emitir radiação óptica, cujos comprimentos de onda são maiores do que os absorvidos – aumenta a visibilidade diurna, principalmente ao amanhecer e entardecer. Dependendo da aplicação da vestimenta, esses materiais são empregados individual ou conjuntamente, a fim de abranger as mais variadas condições de uso final (end use), cumprindo a função de proteção e segurança.

O Laboratório de Tecnologia Têxtil avalia a conformidade de vestuários de alta visibilidade, como os coletes de segurança – de acordo com as exigências da Portaria n° 390 do INMETRO, de 04 de novembro de 2008, bem como das Resoluções CONMETRO 219 e 251, a ela associadas  –  e peças como calças, camisas, capas e macacões, atendendo às normas internacionais e nacionais. Os ensaios compreendem tanto avaliação do desempenho (resistência à penetração da água, à ruptura e ao intemperismo, e também solidez da cor), como também ergonomia, etiquetagem e apresentação das embalagens.

Esse segmento de vestuário também vem sofrendo influência das novas tecnologias e pesquisas de materiais, as quais buscam alternativas para melhoria das funcionalidades e também visam corresponder aos avanços do mercado. Pode-se citar a atribuição de propriedades para melhorar o desempenho e o conforto (como acabamentos antichama, antirugas, repelente à água, óleo e sujidades, entre outros), bem como o uso de leds ou lâmpadas flexíveis eletroluminescentes (e-textiles) em conjunto ou como alternativa aos materiais retrorrefletivos – embora tais materiais ainda não sejam normatizados, há indícios de aplicabilidade, principalmente para ciclismo.

Observa-se também em detalhes de produtos de marcas internacionais, como tênis, a utilização de fitas retrorrefletivas, conferindo uma roupagem diversa ao emprego desses materiais.
Tênis customizado com fitas retrorefletivas.