14.10.11

Competitividade paulista

compartilhe


Programas de qualificação técnica e produção mais limpa são incluídos no Plano Plurianual do Governo do Estado


Fonte: Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, com informações da Assessoria de Imprensa do IPT

Para ampliar a participação paulista no mercado nacional, cada vez mais disputado por produtos importados, o Governo do Estado incluiu o Qualimint – Qualificação técnica para aprimoramento de produtos – no PPA (Plano Plurianual de 2012 a 2015). Com previsão de ser implementado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia a partir do próximo ano, o programa vai melhorar a competitividade de empresas do Estado, mediante o aperfeiçoamento tecnológico dos produtos.

O trabalho terá a participação de profissionais experientes do Núcleo de Atendimento Tecnológico à Micro e Pequena Empresa (NT-MPE) do Instituto de Pesquisas Tecnológicas(IPT) e do Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza, que estarão pessoalmente em contato com as empresas para assessorá-las na obtenção da qualificação técnica para certificação nacional (Cgcre/Inmetro e Anvisa, por exemplo) e atendimento aos regulamentos de órgãos governamentais, como Agências Reguladoras e Ministérios.

De acordo com a Pesquisa Industrial Anual (Pìan/IBGE), de 2009, a indústria paulista responde por 37,4% do mercado nacional. O percentual corresponde à participação no Valor de Transformação Industrial (VTI). A maior competitividade impacta diretamente na geração de empregos. Segundo o Índice de Nível de Emprego na Indústria de São Paulo, a atividade industrial gerou 120 mil novos empregos entre janeiro e julho deste ano.

“Muitos produtos brasileiros deixam de ser competitivos nos mercados interno e externo por não estarem com conformidade com as normas técnicas. Com esse apoio, as empresas paulistas poderão expandir seus negócios e gerar mais empregos com melhor remuneração, além de promover o aumento de riquezas para o Estado”, justificou o secretário Paulo Alexandre Barbosa, que no dia 7 viajará para China, onde cumprirá uma agenda de compromissos com representantes de empresas e do governo chinês.

COMO FUNCIONA - O Qualimint não vai apenas avaliar os produtos fabricados e sugerir mudanças que agreguem valor. Ele vai também orientar as empresas a conseguirem a qualificação exigida pelo mercado. Além disso, serão consideradas exigências que o Cgcre/Inmetro vem fazendo nos últimos anos. A Portaria nº 371, de 29 de dezembro de 2009, por exemplo, estabelece uma série de exigências que devem ser observadas na fabricação de aparelhos eletrodomésticos para uso no mercado interno. E as empresas do setor estão tendo que se adequar à legislação.

“As próprias empresas têm tomado a iniciativa de se aperfeiçoar para atender ao mercado interno, frente à concorrência internacional e o ingresso de produtos importados”, explicou Paulo Alexandre. “O que nós vamos fazer é colocar nossa expertise, nossos melhores profissionais, para atender às reais necessidades da indústria paulista”.

PRODUÇÃO MAIS LIMPA - Outro projeto da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, que integra o PPA 2012 a 2015, para aumentar a competitividade de empresas paulistas, é o Prolimp. O foco principal desse atendimento é obter produtos levando em consideração uma produção mais limpa, dentro do conceito de desenvolvimento sustentável, ou seja, usando os recursos naturais sem agredir o meio ambiente, conciliando produção com preservação da natureza.

Este tipo de atendimento tem como objetivo fornecer o apoio tecnológico para que as pequenas e médias empresas se desenvolvam em um meio culturalmente ativo do ponto de vista de sustentabilidade, mediante adoção de tecnologias mais limpas, ou da opção por processos tecnológicos que premiem a produção mais limpa. O processo consiste na melhoria das etapas que conduzam, por exemplo, à redução de emissões (gasosas e líquidas) e de rejeitos de produção (sólidos inclusive), ao consumo racional de matérias primas, de água e de energia, à destinação correta dos resíduos e à preocupação com o ciclo de vida dos produtos. Outra opção de abordagem é a de apoiar empresas na condução de projetos com base no ecodesign, buscando o desenvolvimento de produtos visando seu ciclo de vida e o respeito ao meio ambiente.

Conforme explicou Paulo Alexandre, “a preocupação com o meio ambiente pode constituir um primeiro e importante passo para a inserção das pequenas empresas no mercado internacional, em atendimento às exigências ambientais cada vez mais rigorosas”. Além das novas linhas, serão mantidas dentro do PPA o Projeto Unidades Móveis (Prumo), o Programa de Apoio Tecnológico à Exportação (Progex) e a Gestão de Produção (Gespro), todos oferecidos pelo IPT.

PPA - O Plano Plurianual é um instrumento de planejamento governamental, que estabelece os projetos e os programas de longa duração do governo, definindo objetivos e metas da ação pública para um período de quatro anos. O PPA procura ordenar as ações do governo que levem a atingir as metas e objetivos fixados para o período de quatro anos. Nenhum investimento, cuja execução ultrapasse um exercício financeiro, poderá ser iniciado sem prévia inclusão no plano plurianual, sob pena de crime de responsabilidade.


 
Mais sobre este centro
 
Contato
 
Soluções
  •