Pgina inicial do IPT   >   Consultas Online   >  Informações sobre madeiras

Informaes sobre madeiras

 

Cedrorana

Nome cientfico: Cedrelinga cateniformis (Ducke) Ducke, Leguminosae.

Outros nomes populares: cedrarana, cedro-branco, cedroarana, cedromara, cedrorama, taperib-au.

Nomes internacionais: tornillo (ATIBT,1982; BSI,1991).

Ocorrncia:
Brasil: Amaznia, Amazonas, Mato Grosso, Par, Rondnia.
Outros pases: Bolvia, Colmbia, Equador, Guiana, Guiana Francesa, Peru, Suriname.
 
 
Face TangencialFotomacrografia (10x) 


CARACTERSTICAS GERAIS


Caractersticas sensoriais: cerne e alburno indistintos pela cor, bege-rosado; cheiro perceptvel, desagradvel quando a Madeira est mida e imperceptvel depois da Madeira seca; gosto indistinto; densidade baixa; gr ondulada; textura grossa.

Descrio anatmica macroscpica:
Parnquima axial: visvel apenas sob lente, paratraqueal vasicntrico e aliforme losangular de expanses curtas.
Raios: visveis apenas sob lente no topo e na face tangencial, onde se observa a olho nu um ondulado, lembrando estratificao, finos.
Vasos: visveis a olho nu, grandes; poucos, disposio difusa; solitrios e mltiplos; vazios.
Camadas de crescimento: indistintas.

Fonte: (IPT,1983


DURABILIDADE / TRATAMENTO


Durabilidade natural: a Madeira de cedrorana apresenta durabilidade moderada ao ataque de fungos apodrecedores e cupins. (INPA,1991) Estudo realizado verificou que a durabilidade desta Madeira inferior a 12 anos de servio em contato com o solo. (SUDAM/IPT,1981

Tratabilidade: cerne e alburno difceis de tratar com produtos preservativos hidrossolveis, mesmo em tratamento sob presso. (IBAMA,1997a


CARACTERSTICAS DE PROCESSAMENTO


Trabalhabilidade: A Madeira de cedrorana fcil de aplainar, serrar, pregar e parafusar. Recebe bom acabamento. (INPA,1991

Secagem: Com empilhamento bem feito e realizado em local coberto, a secagem boa e ocasiona poucos defeitos de rachaduras ou empenamentos. A secagem artificial precisa de ateno e deve ser bem controlada. (Jankowsky,1990

Programa de secagem sugerido por (Jankowsky,1990


PROPRIEDADES FSICAS


Densidade de massa (r):
Aparente a 12% de umidade (rap, 12): 520 kg/m
Madeira verde (rverde): 900 kg/m
Bsica (rbsica): 440 kg/m

Fonte: (IBAMA,1997a

Contrao:
Radial: 4,8 %
Tangencial: 7,9 %
Volumtrica: 11,8 %

Resultados obtidos de acordo com a Norma COPANT. 
Fonte: (IBAMA,1997a
Para comparar esses valores de contrao (CCOPANT) com aqueles obtidos pela Norma ABNT (CABNT) necessrio transform-los usando a equao: CABNT = CCOPANT / (1 - CCOPANT / 100). 


PROPRIEDADES MECNICAS


Flexo:
Resistncia(fM):
      Madeira verde: 70,8 MPa
      Madeira a 12% de umidade: 77,8 MPa
Mdulo de elasticidade - Madeira verde: 12258 MPa
Mdulo de elasticidade - Madeira a 12%: 12847 MPa

Resultados obtidos de acordo com a Norma COPANT. 
Fonte: (IBAMA,1997a

Compresso paralela s fibras:
Resistncia (fc0):
      Madeira verde: 40,6 MPa
      Madeira a 12% de umidade: 46,6 MPa

Compresso perpendicular s fibras:
Resistncia (fc0):
      Madeira verde: 3,2 MPa
      Madeira a 12% de umidade: 3,6 MPa

Resultados obtidos de acordo com a Norma COPANT. 
Fonte: (IBAMA,1997a

Outras propriedades:
Cisalhamento - Madeira verde: 6,7 MPa
Cisalhamento - Madeira a 12%: 7,2 MPa
Dureza janka paralela - Madeira verde: 3932 N
Dureza janka paralela - Madeira a 12%: 3962 N
Dureza janka transversal - Madeira verde: 3570 N
Dureza janka transversal - Madeira a 12%: 3785 N
Trao normal s fibras - Madeira verde: 4,4 MPa
Trao normal s fibras - Madeira a 12%: 4,5 MPa

Resultados obtidos de acordo com a Norma COPANT. 
Fonte: (IBAMA,1997a


USOS


Construo civil:
Leve em esquadrias:
      portas
      venezianas
Leve interna, estrutural:
      ripas
Leve interna, utilidade geral:
      cordes
      guarnies
      rodaps
Uso temporrio:
      frmas para concreto

Mobilirio:
Utilidade geral:
      mveis estndar
      partes internas de mveis inclusive daqueles decorativos

Outros usos:
      lminas decorativas
      chapas compensadas
      embalagens