Pgina inicial do IPT   >   Imprensa   >  IPT na mídia



IPT na mdia



compartilhe


  27.11.17

Rob contra inundaes e enchentes


Projeto do IPT para monitoramento de galerias pluviais é tema de reportagem na TV TEM e na Rádio USP


Atualizado em 6 de dezembro

Minimizar o risco sofrido pelos colaboradores da Defesa Civil e dos Bombeiros em atividades de campo que envolvam a entrada em galerias pluviais é um dos objetivos do projeto VInCE – de Veículos para Inspeção em Condições Especiais –, fruto de uma parceria entre o Centro de Tecnologias Geoambientais e o Centro de Tecnologia de Obras de Infraestrutura, do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).

Por meio de um carro-robô com capacidade para coletar imagens fotográficas e filmagens dentro das galerias, as equipes do IPT acreditam que será possível a elaboração de um mapeamento de pontos sujeitos a enchentes e a inundações e auxiliar as administrações municipais na realização de obras e ações preventivas. Uma equipe multidisciplinar do Instituto esteve em Agudos, município do interior paulista, nos dias 21 e 22 de novembro para testar os equipamentos do projeto, a pedido da prefeitura da cidade.

O projeto piloto foi tema de reportagens na TV TEM, afiliada da Rede Globo em Bauru, no dia 23 de novembro. Segundo Caio Pompeu Cavalhieri, pesquisador do Laboratório de Recursos Hídricos e Avaliação Geoambiental do IPT, foi a primeira vez que um levantamento de informações ocorreu em campo. “Essa foi a primeira atividade fora do IPT; há bastante coisa para desenvolver ainda, mas os resultados foram satisfatórios”, afirma ele.

Cavalhieri e o pesquisador Marcelo Fischer Gramani também foram entrevistados no Jornal da USP, transmitido pela Rádio USP, em 4 de dezembro. O primeiro explicou que o robô pode fazer uma inspeção durante 20 a 30 minutos por bateria utilizada e coleta material fotográfico e em vídeo para auxiliar as ações da Defesa Civil – segundo ele, o procedimento pode ser comparado à endoscopia, que faz registros visuais para compreensão do problema. Gramani comentou que os registros podem servir de prevenção a alagamentos: ao identificar os problemas, a Defesa Civil tem facilitado o seu trabalho, evitando que a temporada de chuvas de dezembro a março cause danos aos moradores e às próprias cidades.

Assista a reportagem e ouça a entrevista na íntegra abaixo: