Pgina inicial do IPT   >  Notícias

Notcias


compartilhe


  30.06.17

Benchmarking de pesquisa


Décima-primeira edição do CFK Valley Convention realizou-se em maio na Alemanha, com participação do IPT


A CFK Valley é uma rede internacional de excelência que engloba toda a cadeia de valor de compósitos, constituída por mais de 100 membros internacionais de grandes empresas, institutos de pesquisas e universidades que atuam principalmente nas áreas aeroespacial e automotiva. Inclui também empresas ligadas ao fornecimento de equipamentos e matérias-primas, e reciclagem de compósitos. É considerada uma plataforma para troca de informações em P&D, com oportunidades de negócios envolvendo a utilização deste tipo de material no desenvolvimento de estruturas leves.

Os participantes da rede se reúnem anualmente em um evento em Stade (Alemanha). Este ano o Núcleo de Estruturas Leves do IPT participou do encontro, representado pelos pesquisadores Rodrigo Andrade de Oliveira e José Everardo Baldo Junior, com a apresentação do projeto intitulado Manufacturing of Civil Aircraft Rear Fuselage with Automated Fiber Placement Process (AFP), realizado em uma parceria com Embraer e apoio da Embrapii.
Simulação do processo de manufatura da fuselagem e produção da peça foram realizados no laboratório do IPT
 
“Compartilhar nesta convenção o resultado do projeto confirma o alinhamento de nossas pesquisas com a necessidade da indústria, além de trazer visibilidade ao nosso Instituto”, comenta Oliveira. “Identificamos oportunidades de negócios que podemos aplicar à realidade brasileira, principalmente no contexto da Indústria 4.0. Várias das apresentações foram direcionadas ao desenvolvimento de tecnologias de automação, tanto para processos de manufatura como para processos de inspeção e reciclagem de estruturas de compósitos”, complementa Baldo.

BENCHMARKING – Além da participação na conferência, os pesquisadores visitaram um laboratório de P&D em compósitos do DLR (Centro de Pesquisa Aeroespacial da Alemanha), em Stade, e também outro do NLR (Centro de Pesquisa Aeroespacial da Holanda), em Marknesse. Em ambos foram verificadas diversas soluções tecnológicas associadas ao aumento da automatização e produtividade dos processos.

“O DLR e o NLR atendem a grandes empresas do setor aeronáutico para o desenvolvimento de processos-piloto de manufatura. Isto faz com que os resultados das pesquisas sejam focados também na produtividade, convergindo assim para soluções que possam ser diretamente aplicadas a um cenário de produção em série. Os modelos de negócio são semelhantes entre si e com o do IPT. Em termos de infraestrutura, somos complementares”, analisam os pesquisadores.