Pgina inicial do IPT   >  Notícias

Notcias


compartilhe


  06.07.17

Aes conjuntas em acstica


IPT e ProAcústica discutem ações conjuntas na elaboração do mapa de ruído de SP e instalação de barulhômetros


Representantes da diretoria da Associação Brasileira para a Qualidade Acústica, a ProAcústica, estiveram no IPT para discutir ações conjuntas na elaboração do mapa de ruído de São Paulo e na instalação dos barulhômetros pelo Instituto na cidade de São Paulo no segundo semestre deste ano.

A ProAcústica é uma entidade sem fins lucrativos que tem por finalidade congregar empresas e profissionais ligados ao desenvolvimento da acústica aplicada no Brasil. Criada em 2010, a associação nasceu da iniciativa de um grupo que identificou a importância de divulgar à sociedade a qualidade acústica nas edificações e no meio ambiente, como fator de bem-estar e de saúde pública.

Participaram da reunião pelo IPT o diretor-presidente, Fernando Landgraf, o pesquisador Marcelo de Mello Aquilino, do Laboratório de Conforto Ambiental e Sustentabilidade dos Edifícios, e a assessora da diretoria executiva, Ely Bernardi; pela associação, o presidente-executivo, Edison Claro de Moraes, o vice-presidente de Atividades Técnicas, Davi Akkerman, e a gerente executiva, Maria Elisa Miranda.

O principal tema discutido na reunião no IPT foi a elaboração do mapa de ruído para a cidade de São Paulo, explica Aquilino: "Hoje, a ProAcústica está com um grupo de trabalho discutindo o tema, trabalhando para colaborar com o executivo e agilizar a regulamentação da Lei 16.499, que instituiu em 2016 a obrigatoriedade de implantação do mapa de ruídos no município de São Paulo. Foi proposto que participemos dos grupos da ProAcústica como convidados em reuniões com esta pauta", afirma ele.

Segundo Akkerman, a legislação aponta que a cidade deve ter um mapa de ruído e a Secretaria Municipal de Urbanismo e Licenciamento da prefeitura é a responsável por coordenar e conduzir os trabalhos de regulamentação da mesma junto ao poder executivo. "A associação está promovendo workshops sobre mapeamento de ruído, dando início às discussões sobre o assunto como forma de instrumentalizar o executivo via representantes das diversas secretarias", explica ele. "Foi criado dentro da ProAcústica um grupo de trabalho reunindo especialistas que estão contribuindo para que seja apresentada ao Executivo a melhor diretriz técnica a ser seguida quanto à metodologia e aos procedimentos para os dados de entrada mais seguros e confiáveis. A participação do IPT é importante porque contribui com seus estudos para uma plataforma de dados, que trará mais segurança técnica nas decisões a serem tomadas”.

BARULHÔMETROS - Além do mapeamento de ruído, os barulhômetros que serão instalados pelo IPT na capital paulista foram tema de discussão no encontro. Os equipamentos mostrarão à população, no local e em tempo real, o nível de ruído a que ela está sendo exposta e também irão coletar dados que serão enviados de modo remoto para um site da Internet, no qual o cidadão terá informações sobre o 'barulho' gerado na região onde estão instalados e obter informações sobre questões de ruído urbano. Foi discutida a possibilidade de a ProAcústica auxiliar em ações voltadas à conscientização da população.

O terceiro tema discutido foi a execução de ensaios interlaboratoriais, que foram propostos pela associação. “Estes testes promovidos por eles ainda não têm um provedor de ensaios acreditado pelo Inmetro, por isso o IPT não está participando. A próxima rodada InterLab que a ProAcústica irá fazer será daqui a dois anos e será discutida a possiblidade da presença do IPT. Em resumo, a reunião serviu para aproximar as duas instituições. A partir de agora, é possível que trabalhemos de modo mais próximo", conclui Aquilino.