Pgina inicial do IPT   >  Notícias

Notcias


compartilhe


  11.10.17

Deixa sujar


Na Semana da Criança, pesquisadora do IPT fala sobre manchas e como removê-las das roupas dos pequenos


Crianças adoram correr, pular e brincar ao ar livre. Agitadas por natureza, é difícil conseguir com que fiquem paradas por alguns momentos, até mesmo na hora de se alimentarem. Como consequência disso, as roupas acabam sendo as mais prejudicadas: manchas de lama, grama, chocolate, canetinhas e várias outras são características dessa fase da vida.

Na Semana da Criança, a pesquisadora Rayana Santiago de Queiroz, do Laboratório de Tecnologia Têxtil do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), fala sobre o tema, mostrando o lado científico das indesejáveis manchas e como removê-las sem estragar as peças.

Da esquerda para a direita, manchas de: doce de leite, terra, ketchup, chocolate, pasta de dente e manga
 
Afinal, o que são manchas? A mancha - ou manchamento - é uma alteração indesejável na cor original de um tecido e ocorre quando a sujeira de outro material agrega-se à fibra têxtil. Algumas manchas afetam apenas a parte superficial do tecido, mas outras podem ir mais fundo e alterar sua estrutura molecular, tornando-as impossíveis de serem retiradas. “Manchas em roupas e tecidos em geral acontecem acidentalmente durante o uso ou mesmo nos processos de limpeza, quando ela é feita de modo inadequado”, explica Rayana.

Uma maneira de classificar e separar os tipos de manchas existentes - tantos quanto a imaginação da criança pode pensar - é a partir de sua origem. Saber diferenciar uma mancha causada por uma proteína de outra causada por um pigmento, por exemplo, é essencial na hora da remoção. O método para retirar uma mancha de canetinha é diferente daquele que funciona com ketchup ou com doce de leite.

Uma primeira categoria é a das sujeiras solúveis em água, composta por sais inorgânicos, como o giz de lousa escolar, açúcar, uréia e transpiração corporal. Já a das partículas possui, entre outros elementos, o húmus, matéria orgânica proveniente da decomposição de animais e plantas - popularmente, a camada mais superior do solo na qual as crianças esfregam suas roupas quando brincam na terra ou caem ao chão. As gorduras, manchas de grande incidência, podem ser de origem vegetal ou animal, como aquele óleo que pinga do lanche frito direto na camiseta branca. Existem ainda as sujeiras de proteínas, como o sangue que sai do ‘ralado’ no joelho, o ovo e o leite; e substâncias corantes, de frutas, sucos, café, chá e o molho de tomate da macarronada.

DEPOIS DE DIFERENCIAR, HORA DE REMOVER – Cada tipo de mancha exige produtos e técnicas diferentes em sua remoção, e usar o método errado pode diminuir a durabilidade do produto. Porém, há algumas recomendações em comum para todos os tipos de sujeira:

• Lavar a peça com água fria imediatamente após o manchamento evita que a sujeira se impregne na fibra e torne-se impossível de retirar;


• O uso de cloro, inclusive nas roupas brancas, diminui sua durabilidade, pois ele degrada as fibras do tecido. Além disso, ao invés de branquear a roupa, ele pode acabar amarelando-a ao entrar em contato com substâncias gordurosas e suor;

• Manchas muito persistentes podem requerer que a roupa fique de molho em água morna para ajudar a remoção. Porém, não se deve ultrapassar o período de uma hora na água para evitar que as fibras têxteis ‘inchem’ e se tornem plásticas, afetando sua durabilidade, além de desbotar roupas coloridas.

“Cientificamente falando, a remoção de manchas pode se dar através de agentes mecânicos, químicos e até mesmo microbiológicos”, conta a pesquisadora. "A evolução na fórmula dos detergentes atualmente disponíveis permite que muitos tipos de sujeiras sejam removidos apenas com sua aplicação, sem danificar os tecidos. Em manchas mais persistentes, porém, outros métodos são necessários".

A classe mais simples de manchas para se remover são aquelas formadas por sais solúveis em água. Como o próprio nome já diz, basta água para que tecidos sujos por giz, açúcar, uréia e suor do corpo fiquem limpos novamente. Já os manchamentos causados por proteínas, como o sangue e o leite, exigem maiores cuidados: é preciso lavar a peça com água fria e detergente, evitando o calor e agentes de branqueamento, que podem fixar ainda mais sujeira à peça.

O talco pode ser um ajudante eficaz na hora de remover a mancha da gordura presente no chocolate
 
Para as manchas de gordura, como as de chocolate, a dica é aplicar talco sobre a sujeira enquanto a roupa ainda está seca.O talco, e outros produtos como o amido de milho - ou Maizena -, apresenta a propriedade de absorver gordura do tecido. Depois de alguns minutos, basta remover o excesso com a escova e lavar a peça normalmente.

As sujeiras de partículas, como as de terra, são removidas mecanicamente. Ou seja, basta usar e abusar da boa e velha esfregação manual e de escovas. Caso sejam insistentes, ou o barro tenha secado, por exemplo, deve-se deixar o pano de molho com detergente para facilitar a remoção.

Substâncias corantes, como os sucos de frutas ou o ketchup, são removidas por meio de agentes de branqueamento químicos, os populares alvejantes.

ENTENDA A ETIQUETA DE SUA ROUPA – Nas etiquetas das roupas, normalmente encontram-se presentes vários símbolos que dizem respeito a particularidades da lavagem e secagem daquela peça. Cada tipo de tecido exige um cuidado específico, e estar atento às instruções pode fazer a diferença para preservar o visual e a durabilidade das peças. “É preciso ver sempre as instruções de lavagem da etiqueta antes de realizar qualquer procedimento. Tecidos à base de lã, seda e poliamida, por exemplo, interagem facilmente com a sujeira de substâncias corantes e são muito sensíveis a sabão em excesso e água morna ou quente”, indica Rayana.
 
  • Símbolos nas etiquetas de roupas