Pgina inicial do IPT   >  Notícias

Notcias


compartilhe


  11.02.16

Uso racional de gua e energia


IPT inicia projeto de avaliação do uso dos dois recursos em instalações municipais de dez cidades do Vale do Ribeira


Para auxiliar os municípios a adotarem práticas sustentáveis para o consumo de água e de energia elétrica e reduzirem os custos de administração pública, o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) assinou um contrato de avaliação dos pontos de utilização dos dois recursos em edifícios públicos que são geridos por 10 prefeituras do Vale do Ribeira. O financiamento para a realização do estudo é da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado de São Paulo.

Equipes multidisciplinares do Centro Tecnológico do Ambiente Construído e do Centro de Tecnologia Mecânica Naval e Elétrica do IPT serão as responsáveis pelo levantamento das informações, proposição de diretrizes e disseminação de boas práticas nas cidades de Cajati, Cananéia, Eldorado, Iguape, Ilha Comprida, Itariri, Jacupiranga, Pedro de Toledo, Registro e Tapiraí. A investigação das formas de uso da água potável de abastecimento será realizada em edifícios que abrigam escolas públicas, enquanto o levantamento de dados sobre o uso de energia elétrica englobará as edificações de maiores taxas de consumo e a infraestrutura de iluminação pública.

Projeto tem potencial para incrementar as discussões sobre o tema da sustentabilidade, por conta dos alunos que tendem a levar as discussões para suas casas, disseminando informações das práticas do uso racional desses recursos
 
“Esse é um projeto que chama a atenção dos gestores municipais para dois dos grandes gastos fixos de um município, que são a água e a energia elétrica. Em muitos casos, os gestores podem nem se dar conta da possibilidade e das formas de economia dos recursos e consequente redução nos gastos públicos”, afirma o pesquisador do IPT e coordenador do projeto, Luciano Zanella.

Para a realização dos trabalhos, as equipes do IPT irão visitar as escolas em companhia de um funcionário da prefeitura para a avaliação dos pontos de uso de água e a identificação de problemas recorrentes nos sistemas hidráulicos. Os pesquisadores farão também uma análise das informações referentes ao histórico de consumo, e os dados coletados servirão para a identificação de soluções e a proposição de estratégias de uso racional que sejam aplicáveis aos casos avaliados.

Um roteiro semelhante será seguido para o levantamento das informações relativas ao uso da energia elétrica, com verificações de instalações e medições de potência, tensão, corrente e fator de potência das edificações. No caso do serviço de iluminação pública, que é um serviço de exclusiva responsabilidade das prefeituras, as equipes farão medições em campo, análise do funcionamento do sistema atual e caracterização de equipamentos em laboratório.

A obtenção de dados em campo levará em consideração as principais demandas municipais quanto à segurança no trânsito noturno, às ocorrências policiais noturnas em espaços públicos e à valorização da ocupação dos espaços públicos por parte da população local/visitante. Na sequência, os dados serão avaliados com o objetivo de identificar potenciais abordagens inovadoras para reduzir custos da gestão do sistema e maximizar a qualidade do serviço do ponto de vista do usuário final.

Após a entrega do relatório final no qual estarão relacionados os dados obtidos, os modelos desenvolvidos e as estratégias de redução de consumo recomendadas para cada área, as equipes do IPT irão ministrar workshops para a formação de professores e de funcionários da administração municipal que possam disseminar aspectos relacionados ao uso mais eficiente de água e de energia elétrica.

“O projeto irá aproximar mais ainda o IPT das prefeituras e mostrar possibilidades de atuação que podem parecer simples no meio técnico, mas que são de grande valia e grande resultado potencial quando aplicadas junto à sociedade”, explica Zanella, lembrando a existência do Programa de Apoio Tecnológico aos Municípios, o Patem. “Isso permitirá a avaliação da adequação de soluções tecnológicas à realidade enfrentada pelas prefeituras”.

Como um dos alvos do trabalho serão as escolas públicas municipais, acrescenta ele, o trabalho tem potencial para incrementar as discussões sobre o tema pelos alunos que tendem a levar as discussões para suas casas, disseminando informações das práticas do uso racional desses recursos.