Pgina inicial do IPT   >  Notícias

Notcias


compartilhe


  21.03.16

Inovao em geofsica


American Tower promove concurso, e projeto vencedor da equipe de fundações da empresa tem apoio do IPT


Empresa que fornece infraestrutura para torres de telecomunicações, a American Tower promoveu em sua subsidiária brasileira um concurso interno sob o tema ‘Soluções Inovadoras’ que contou com a inscrição de 37 projetos. O vencedor foi um estudo feito pelo Departamento de Engenharia de uma nova técnica para o mapeamento de fundações profundas que teve a participação da Seção de Geotecnia do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).

As towers companies são empresas que constroem ou compram antenas para alugar às operadoras de telefonia.
Ensaio sísmico paralelo em execução em fundação de torre de telefonia
 
Desde 2014, a American Tower desenvolve projetos com o apoio tecnológico do IPT para a determinação da profundidade das fundações de torres de telefonia por métodos indiretos. “O primeiro contato da empresa com a Seção de Geotecnia foi motivado pelo interesse em testar outras técnicas de investigação além do comumente utilizado ensaio PIT, que nem sempre fornece resultados satisfatórios”, explica o pesquisador do IPT Otávio Coaracy Brasil Gandolfo. O PIT, ou Pile Integrity Testing, é um ensaio não destrutivo aplicado preferencialmente em estacas moldadas in loco para avaliar variações ao longo de sua estrutura e detectar falhas na concretagem.

Para aumentar o grau de precisão nas avaliações de fundações profundas, as equipes da American Tower e do IPT decidiram testar técnicas de investigação como o ensaio sísmico paralelo e a perfilagem de indução, a fim de complementar a utilização do ensaio PIT. O primeiro, que foi desenvolvido na França e é de recente aplicação no Brasil, mostrou os melhores resultados, com alto índice de acerto na determinação da profundidade de fundações.

Em um primeiro teste, os resultados obtidos permitiram estimar a profundidade da base de uma fundação de grande diâmetro (tubulão). A metodologia foi também testada em outros dois sites, com resultados promissores. A técnica é utilizada especialmente nos casos em que a documentação do projeto não está disponível ou as informações não são confiáveis.
Equipes da American Tower e do IPT testaram técnicas como o ensaio sísmico paralelo e a perfilagem de indução para aumentar o grau de precisão nas avaliações de fundações profundas
 
“No entanto, por tratar-se de uma técnica pioneira, ela deve ser ainda testada em outros tipos de fundações - estacas metálicas, por exemplo - para uma avaliação mais criteriosa das suas potencialidades”, ressalta Gandolfo.

"Nosso mercado exige cada vez mais o aprimoramento das soluções e o surgimento de novas ideias para fazer face aos desafios de engenharia, reduzir os custos operacionais e aumentar a produtividade", afirma o engenheiro de fundações da American Tower, Paulo Cezar Aoki. "O projeto é um exemplo destas ideias, com a parceria tecnológica entre a American Tower e IPT para desenvolver e entender os resultados obtidos de ensaios e validar a aplicação da solução em nossos processos”.

A execução para o cliente dos serviços e a necessidade de incrementar o conhecimento sobre a ferramenta motivaram o pesquisador a dar início ao projeto de capacitação ‘Avaliação do comprimento de elementos de fundações por métodos não destrutivos (MND)’, atualmente em curso no IPT, com o objetivo de desenvolver e aprimorar estas metodologias.