Pgina inicial do IPT   >  Notícias

Notcias


compartilhe


  26.07.16

Nascentes, gua corrente


Programa Nascentes do governo de SP reúne IPT e secretarias com foco em recuperação e manutenção de matas ciliares


O Programa Nascentes, anteriormente conhecido como Programa Mata Ciliar, é uma ação de governo do Estado de São Paulo, que tem o objetivo básico de ampliar a proteção e conservação dos recursos hídricos e da biodiversidade. A meta do programa é restaurar cerca de 20 mil hectares de matas ciliares em todo o estado: na primeira fase deverão ser recuperados 4,46 mil hectares, utilizando 6,3 milhões de mudas de espécies arbóreas nativas. Serão contempladas matas ciliares no entorno de nascentes e nas margens de rios, córregos, lagos e represas. Estão mobilizados em torno do tema as secretarias do Meio Ambiente; de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação; e de Governo. A coordenação e a secretaria executiva do programa estão a cargo, respectivamente, das secretarias de Governo e de Meio Ambiente (SMA).
Duas reuniões técnicas já foram realizadas para definir contribuições técnicas que o IPT poderá oferecer.
Metodologia para definição de áreas prioritárias para restauração, seleção de indicadores ambientais e avaliação das metodologias de restauração foram os temas discutidos nas duas reuniões das equipes do IPT e das secretarias estaduais
 
Os participantes discutiram a metodologia para definição de áreas prioritárias para restauração, a seleção de indicadores ambientais e a avaliação das metodologias de restauração. Participaram dos encontros representantes de todos os órgãos de governo envolvidos com a questão.

Pelo IPT, participaram pesquisadores e técnicos do Laboratório de Recursos Hídricos e Avaliação Geoambiental e da Seção de Sustentabilidade de Recursos Florestais. A iniciativa ocorre no âmbito de um projeto de capacitação coordenado pela pesquisadora Priscila Ikematsu que tem como objetivos definir áreas prioritárias para pagamentos por serviços ambientais hídricos e estabelecer procedimentos metodológicos para mapear nascentes com indícios de degradação. "Entre os possíveis eixos de atuação conjunta – diz Priscila – destaca-se a questão de indicadores ambientais para monitorar os resultados do Programa em termos de melhoria hídrica, usando a bacia hidrográfica como unidade de análise e a identificação de serviços ambientais hídricos esperados com a restauração."

Para o pesquisador José Luiz Albuquerque Filho, responsável pelo Laboratório de Recursos Hídricos e Avaliação Geoambiental, o IPT tem condições plenas de contribuir com o programa: “O Instituto vem de larga experiência no apoio tecnológico à implantação da política pública de recursos hídricos no estado”. A pesquisadora e diretora do Centro de Tecnologia de Recursos Florestais do IPT, Ligia Ferrari di Romagnano, corrobora a opinião de Albuquerque Filho na capacidade técnica que marca as ações do Instituto e acredita ainda que “espera-se um aprimoramento das ações multidisciplinares dos laboratórios como modelo de integração das competências do Instituto para implantação, com base tecnológica, das políticas públicas do governo estadual”.