Pgina inicial do IPT   >  Notícias

Notcias


compartilhe


  02.08.16

Transporte inteligente


IPT participa de projeto internacional em busca de soluções inovadoras para sistemas de transportes públicos


Na esteira das participações em diversos eventos nacionais e internacionais que discutiram soluções e inovações para sistemas de transporte nos últimos anos, o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) contribuiu também para o projeto Viajeo Plus, que produziu um livro virtual publicado em junho e reúne algumas soluções inovadoras da área que estão em prática em cidades de vários países e que podem servir como referência para outras regiões.

Projeto Viajeo Plus discute soluções e inovações para sistemas de transporte inteligentes
 
O trabalho – que resultou em diversos relatórios sobre metrópoles europeias, chinesas, latino-americanas e de Singapura – foi elaborado por um consórcio liderado pela associação Ertico, que reúne cerca de 100 empresas e instituições europeias envolvidas na produção de sistemas inteligentes de transporte (ITS). O projeto foi financiado com recursos da União Europeia, e fabricantes de veículos, instâncias governamentais como a prefeitura de Istambul e universidades como a de Leeds também contribuíram para as pesquisas. Demandou 36 meses de atenção de pesquisadores de diversos países, em busca das melhores soluções urbanas para transportes em cinco tópicos específicos: transporte público, iniciativas de veículos ‘limpos’, infraestrutura de apoio aos transportes, logística urbana e gerenciamento de mobilidade.

O IPT – único instituto latino-americano do consórcio – participou do projeto por meio do Centro de Tecnologia da Informação, Automação e Mobilidade, cujos representantes foram os pesquisadores Alessandro Santiago, Adriano Galindo Leal e Ely Bernadi. Coube ao centro colaborar com as coletas e análises das informações de cidades da região, além do intercâmbio e validação das soluções de outros locais.

Durante o trabalho, várias fases se sucederam na prospecção das soluções em exercício pelo mundo, desde o seu levantamento, passando pela análise dos perfis das cidades e de suas inovações, a seleção de projetos que necessitariam de investigações mais amplas e, posteriormente, a escolha dos cidades que pudessem ser visitadas pela equipe. Surgiram então as ‘City Mobility Weeks’, períodos em que os pesquisadores conheceriam as práticas in loco. Foram escolhidas cidades na China, na Europa, Singapura e na América Latina (São Paulo e Rio de Janeiro).

Em seguida, os membros da equipe destacaram as dez melhores inovações, dentre as quais o projeto de ciclofaixas aos fins de semana em São Paulo e as metrópoles do país que adotaram o sistema Bus Rapid Transit (BRT) para atender grandes eventos (Copa do Mundo de 2014 e Olímpiada).

“Algumas cidades são impulsionadas a propor soluções inovadoras em seus sistemas de transportes até pela necessidade. São Paulo e Rio de Janeiro são exemplos: a primeira por ser a maior da América do Sul, com enormes desafios no transporte público. O Rio ainda tem os grandes eventos como motivos impulsionadores, como foi na Copa do Mundo e agora com a Olimpíada. O fato de sediar os Jogos, aliás, fez com que o maior impacto viesse das mudanças no sistema de transporte público, com as alterações no Porto Maravilha e na implantação dos novos BRT”, explica Santiago.

Durante 2013 e 2014, o centro técnico do IPT elaborou um estudo que culminou na publicação das principais tendências de ITS para melhorias e desenvolvimento do setor, no qual apontava o aumento do uso de aplicativos para celulares em soluções de transporte. Dois anos depois, os dispositivos já são uma realidade cada vez mais presente na vida das pessoas, seja para encontrar melhores caminhos no trânsito, ou requisitar um táxi de maneira mais eficiente.

A principal colaboração do Viajeo Plus é, para Santiago, a possibilidade de intercâmbio das inovações que estão sendo feitas em diferentes partes do mundo, de maneira que medidas tomadas em alguns lugares possam incentivar soluções em outros contextos semelhantes. A divulgação de projetos é importante porque permite que as regiões entrem em contato com propostas inovadoras que lhes sirvam de algum modo, como o exemplo do BRT de Curitiba, no Brasil, que hoje é utilizado em diversas metrópoles do mundo.

“O livro virtual tem o propósito de apresentar soluções inovadoras que surgiram em determinados lugares e que podem ter uma grande sinergia em outros. Um projeto inovador chinês pode servir para outra cidade, por exemplo. A ideia de criar um documento com soluções inovadoras é ter disponível um showroom delas que podem impactar os projetos em transportes. Isso é um grande resultado”, diz Santiago.

“Quando você observa o sistema de triciclos de Pequim, na China, utilizado para o último trecho de entrega de mercadorias, é possível pensar se aquele projeto não pode ser implementado no centro de São Paulo, na área em que só pedestres transitam. Hoje a distribuição de mercadoria naquela região é um desafio: caminhões têm dificuldade e existem restrições de acesso nos calçadões para distribuir produtos. Não poderiam ser usados esses triciclos?”, completa o pesquisador.

Para além dos ganhos compartilhados internacionalmente, a participação do IPT no projeto permite que o Instituto adquira capacitação para colaborar com propostas, planejamento e implementação de planos de sistemas de transporte público em cidades brasileiras.

Os relatórios e conclusões produzidos pela equipe Viajeo Plus estão disponíveis aqui, destacando o virtual book e seu relatório, assim como os top 10 das inovações.