Pgina inicial do IPT   >  Notícias

Notcias


compartilhe


  10.11.16

Captao de gua de chuva


Pesquisador do IPT discute necessidade de estudos de viabilidade para implantação de sistemas em edificações


O aproveitamento de água de chuva é encarado muitas vezes como uma técnica simples, barata, facilmente aplicável e que permite obter água de boa qualidade. Esta simplicidade aparente leva, no entanto, ao conceito equivocado da falta de necessidade de conhecimento específico para sua aplicação e tampouco de investimentos para sua realização, afirma o pesquisador Luciano Zanella, do Centro Tecnológico do Ambiente Construído do IPT, em capítulo do livro 'Captação, Manejo e Uso de Água de Chuva'.

A publicação será lançada no 10º Simpósio Brasileiro de Captação e Manejo de Água de Chuva, que acontece de 15 a 18 de novembro na cidade de Belém (PA).
Utilização de água de chuva como parte integrante de um projeto de engenharia carece da verificação da viabilidade técnica e econômica para sua implantação
 
A utilização de água de chuva como parte integrante de um projeto de engenharia carece da verificação da viabilidade técnica e econômica para sua implantação, explica Zanella na obra, e não são raras as situações em que o sistema pode se mostrar inviável, seja tecnicamente (principalmente quando aplicado a edificações existentes), ou economicamente – sobretudo quando avaliado a partir dos interesses financeiros de potenciais usuários considerados individualmente, como famílias de moradores, empresários ou mesmo órgãos ou entidades públicas.

“Apesar da importância primordial da viabilidade técnica, não raramente a viabilidade econômico-financeira é considerada mandatória quanto à opção pela utilização dos sistemas nas cidades”, explica Zanella. A quantidade e a qualidade da água de chuva possíveis de se obter, os usos pretendidos para a água, os equipamentos necessários ao tratamento, a capacidade de estocagem e os gastos com operação e manutenção do sistema são alguns dos aspectos que devem ser avaliados pelo usuário da edificação, explica o pesquisador na obra de 24 capítulos organizada pela Associação Brasileira de Captação e Manejo de Água de Chuva (ABCMAC).