Pgina inicial do IPT   >  Notícias

Notcias


compartilhe


  16.11.16

P&D em superms


MCTIC define projeto de terras-raras do IPT para a produção de superímãs entre os 101 recomendados


O projeto intitulado ‘Patria – Processamento e Aplicação de Ímãs de Terras-Raras para Indústria de Alta Tecnologia’, proposto pelo diretor-presidente do IPT, Fernando Landgraf, em parceria com a Universidade de São Paulo (USP), foi definido pelo Comitê de Coordenação dos INCTs entre os 101 projetos recomendados para receber recursos no âmbito da chamada INCT - MCTIC/CNPq/CAPES/FAPs nº 16/2014, lançada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). A notícia foi veiculada pela Agência Fapesp na última quarta-feira, dia 9 de novembro.

O objetivo desta chamada é apoiar atividades de pesquisa com alto potencial de impacto científico em áreas estratégicas, na fronteira do conhecimento,
Diretor-presidente do IPT, Fernando Landgraf, foi o proponente do projeto voltado às indústrias de alta tecnologia. Crédito foto: Gustavo Rampini
 
e que busquem soluções para grandes problemas nacionais por meio da consolidação dos INCTs que ocupam posição estratégica no Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação, e da formação de novas redes de cooperação científica interinstitucional.

A análise das propostas, coordenada pelo CNPq, envolveu a obtenção de pareceres ad hoc e a análise das propostas com auxílio dos pareceres por um comitê internacional. Composto por 35 pesquisadores renomados nas respectivas áreas de conhecimento, provenientes de 12 países, este comitê é responsável pela análise dos pareceres e propostas de cada fundação de apoio à pesquisa e demais financiadores, e homologação da lista dos recomendados.

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) participou ativamente na seleção de pareceristas e no processo de análise. “Reconhecemos e destacamos o bom trabalho feito pelo CNPq na preparação do programa, sob a liderança de Glaucius Oliva, e na análise, seleção e, finalmente, na viabilização dos recursos federais, sob a liderança de Hernan Chaimovich e Marcelo Morales. Na conjuntura atual é uma conquista de especial valor”, disse Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor-científico da Fapesp.