Pgina inicial do IPT   >  Notícias

Notcias


compartilhe


  06.12.16

Formao tecnolgica


Mestrado do IPT forma 60 novos profissionais em três especializações oferecidas pelo Instituto


Sessenta novos mestres de três cursos de pós-graduação oferecidos pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) receberam seus diplomas na noite da última sexta-feira, 2 de dezembro, no auditório do prédio do Centro de Tecnologia Mecânica, Naval e Elétrica. As turmas dos cursos de Engenharia da Computação, Habitação: Planejamento e Tecnologia e Processos Industriais foram homenageadas pelos seus professores, pesquisadores, organizadores do mestrado profissional do IPT e membros da diretoria executiva.

Criado em 1997, o mestrado profissional do IPT completará seu vigésimo aniversário no ano que vem.

Entre os docentes, estiveram presentes os pesquisadores Mario Miyake, da Seção de Soluções de Software e Sistemas para Engenharia, Maria Akutsu, do Laboratório de Conforto Ambiental e Sustentabilidade de Edifícios e Silas Derenzo, do Laboratório de Processos Químicos e Tecnologia de Partículas.
Novos mestres formados pelo IPT exibem seus diplomas durante colação de grau
 
Ainda marcaram presença o diretor de operações e negócios, Mario Boccalini, e o responsável pela Coordenadoria de Ensino Tecnológico, Eduardo Machado.

“Estou à frente do curso de Engenharia da Computação há 19 anos. Considero essa a atividade que mais me gratifica em todo o meu histórico no IPT e em outras instituições. A saída para os problemas do País, creio eu, é a educação em todos os níveis, e o mestrado é um patamar de proficiência que torna os alunos capazes de exercer pesquisas e projetos utilizando os conhecimentos adquiridos aqui”, avaliou Miyake. “Isso significa que o processo de desenvolvimento do Brasil continua”, complementou.

Muitos alunos choravam durante os discursos de seus professores e no momento das fotografias com os diplomas nas mãos. Alguns deles vieram acompanhados dos familiares e amigos, como o mestrando de Engenharia da Computação Valber Rodrigues, que estava com a filha, a esposa e os pais. “A relação com as pessoas foi o mais importante para mim durante esse percurso. Depois disso, o esforço que eu fiz, o aprendizado e a contribuição para o mercado de trabalho também foram fundamentais”, contou com lágrimas nos olhos.

A mestranda em Habitação, Danielle Elói, também estava com o marido e o filho e, da mesma forma que Rodrigues, emocionada ao final do evento. “Os professores deram muita força aos alunos durante os anos do curso. Estar aqui hoje é sentir uma felicidade que nem consigo explicar”, completou.

Essa emoção foi bastante percebida pelo coordenador Eduardo Machado. Antes da entrega dos diplomas, entre relatos da sua própria defesa de doutorado e das suas percepções sobre os alunos durante os últimos anos, ele falou sobre a importância do encontro: “O IPT compreendeu a alguns anos que o evento da colação de grau é uma honraria, em que os mestrandos trazem seus pais, seus filhos, seus cônjuges, seus familiares, e isso é muito especial”, disse ele. “Espero que vocês continuem vindo ao IPT, porque estaremos sempre de braços abertos para recebê-los para conversas, novos cursos e até projetos”, completou.

APLICAÇÃO – A principal característica do mestrado profissional do IPT, segundo os próprios alunos, é o enfoque central na aplicabilidade dos temas ao cotidiano. Para eles, ainda que o curso seja stricto sensu, todo o conteúdo oferecido pelo Instituto tem importância para as funções que exercem em seus ramos de trabalho.

“Tudo o que eu faço hoje na empresa em que atuo veio do aprendizado que tive no IPT”, conta Rodrigues. “O mestrado do IPT complementa a nossa formação profissional e ajuda bastante no mercado de trabalho. É uma formação prática e o enfoque é bem claro”, complementa a arquiteta Danielle.

A mesma opinião é compartilhada pelo também arquiteto Reinaldo de Queiroz: “Apesar de ser uma pós-graduação stricto sensu, tem uma aplicação prática interessante. Vivenciamos todos os conceitos aprendidos aqui quando vamos trabalhar”. O engenheiro químico Mauro Ferreira, mestrando em Processos Industriais, chamou a atenção para o conhecimento dos próprios professores quanto ao que é realizado no dia a dia: “Todos eles sabem como as coisas acontecem na realidade e trazem esse conhecimento para o curso. É ótimo”.

As matrículas para o primeiro quadrimestre de 2017 já foram fechadas. Agora, quem quiser se inscrever em um dos cursos do mestrado do IPT, deve esperar a reabertura do período de matrículas em abril, cujas aulas começam em maio.