Pgina inicial do IPT   >  Notícias

Notcias


compartilhe


  28.05.18

Mestrado forma novas turmas


Mestrado Profissional do IPT forma 100 novos mestres em 3 especializações; são 1,2 mil formados em 21 anos do curso


A nova turma do Mestrado Profissional do IPT, cuja cerimônia de formatura aconteceu no dia 24 de maio, soma 100 mestres aos cerca de 1.200 formados ao longo de 21 anos do curso. São três as áreas de conhecimento dos alunos que concluíram suas especializações: Habitação, Planejamento e Tecnologia; Processos Industriais e Engenharia da Computação.

Segundo o coordenador de Ensino Tecnológico do Instituto, Eduardo Machado, o mestrado abre caminho tanto nas universidades quanto nas empresas: “Nossos alunos relatam experiências de reconhecimento no mercado, com avanços na carreira profissional. Alguns deles também ingressaram em programas de doutorado nas universidades, com foco na atividade acadêmica.
Armelin (ao centro na foto): "capacitação necessária para atuar em um patamar profissionalmente mais alto" (à esq, Eduardo Machado, coordenador de Ensino Tecnológico do IPT, e à dir, Eduardo Takeo Ueda, professor do Mestrado)
 
O último ano foi muito bom para a área, mantivemos um corpo docente do mais alto nível”; para a diretora de inovação e negócios do IPT, Zehbour Panossian, o mestrado consolida uma vocação institucional: “Temos a missão de levar tecnologia à cadeia produtiva e estamos fazendo isto por meio dos nossos pesquisadores, que são experientes e têm grande conhecimento. Isto nos diferencia da universidade.”

Confira abaixo os depoimentos de alguns dos novos mestres:

O engenheiro químico Luiz Henriques, gerente de pesquisa e desenvolvimento da empresa CP Compostos Plásticos de Engenharia, concluiu o Mestrado em Processos Industriais: “Vim para o curso do IPT buscando ampliar minha formação acadêmica. Aprendi o método analítico científico para pesquisa e sua aplicação. É tão importante na minha vida profissional, que hoje me pergunto ‘por que não fiz antes?’. Estava muito envolvido com o trabalho no dia a dia, que não via o potencial do network e do ambiente favorável ao aprendizado de alto nível. O pessoal do IPT ‘puxa’, é difícil, mas dá todo o apoio. Exige dedicação, mas o seu comprometimento também é grande e traz embasamento.”

Engenheiro civil e tecnólogo em edificações, Carlos Eduardo Santana de Melo fez Mestrado em Habitação e atua na empresa Lafarge Holcim: “O mestrado ajudou muito na minha carreira pois permitiu um aprofundamento metodológico em uma área de interesse profissional. Com a formação, tenho a possibilidade de dar aulas e contribuir para aprimorar o conhecimento, por isso estou convencido de que agora chegou a hora de um doutorado.”

O matemático Eduardo Armelin, da área de Engenharia de Sistemas de Produto do Banco Itaú, concluiu o Mestrado em Engenharia da Computação: “Ele foi muito importante na minha atividade, pois contribuiu para uma melhor entrega de serviços. Disponho de mais e melhores ferramentas para ajudar a empresa a chegar ao patamar de banco digital.
Valente (à dir): "crescimento na carreira em ligação direta com o curso que fiz", ao lado do professor e pesquisador do IPT, Silas Derenzo
 
Todas as disciplinas foram, são e serão importantes pois me deram a capacitação necessária para atuar em um patamar profissionalmente mais alto.”

Para o engenheiro químico Geovane Rico Valente, da empresa Braskem e mestre em Processos Industriais, o mestrado do IPT abre portas para novos projetos e oportunidades profissionais. “Obtive um crescimento na carreira em ligação direta com o curso que fiz. O impacto foi positivo, a empresa me apoiou patrocinando minha participação. Conquistei um prêmio destaque no trabalho, no qual tornei-me referência no tema desenvolvido no mestrado.”