Pgina inicial do IPT   >  Notícias

Notcias


compartilhe


  23.06.10

So Luiz do Paraitinga


IPT elaborou parecer técnico apontando medidas que devem ser tomadas para recuperar ponte afetada pela enchente


Fonte: Secretaria de Desenvolvimento

O secretário-adjunto de Desenvolvimento, João Carlos Maranha, entregou nesta terça-feira, 22 de junho, para a prefeita de São Luiz do Paraitinga, Ana Lúcia Bilard Sicherle, um relatório técnico emergencial do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) sobre a condição estrutural da ponte de concreto que cruza o Rio Paraitinga. Localizado na Av. Celestino Campos Coelho, nas proximidades da Praça Oswaldo Cruz, o viaduto é bastante utilizado por veículos e pedestres que circulam no centro da cidade. Construída na década de 30, a ponte apresenta uma série de danos, como infiltrações, trincas, rachaduras, corrosões e desalinhamentos, que foram agravados após a enchente do Rio Paraitinga, com as chuvas ocorridas em janeiro, quando as águas subiram cerca de 15 metros.

Condições da ponte de concreto foram agravadas após a subida do Rio Paraitinga em janeiro deste ano. Crédito: Marcelo Gramani
 


De acordo com a avaliação técnica, os danos na ponte não apresentam riscos imediatos, porém as obras sugeridas devem ser feitas o mais rápido possível para evitar o agravamento do problema. Dentre outros fatores, o relatório aponta a necessidade de reparos e eventuais substituições de armaduras de aço, além da reconcretagem e da instalação de um sistema de drenagem para conter infiltrações. O documento apresenta em detalhes como as obras devem ser executadas. Os trabalhos de vistoria na ponte sobre o Rio Paraitinga foram financiados pela Secretaria de Desenvolvimento, por intermédio do Programa de Apoio Tecnológico aos Municípios (Patem). No total, foram destinados R$ 33,5 mil para a realização dos estudos.

Patem em São Luiz do Paraitinga

Após a enchente ocorrida em janeiro, o Patem assinou quatro contratos com o IPT para a execução de trabalhos emergenciais em São Luiz do Paraitinga, totalizando R$ 750 mil em investimentos. Dois desses estudos já estão prontos: a vistoria da ponte e a análise da estrutura de 23 imóveis tombados pelo patrimônio histórico que estavam severamente comprometidos e necessitavam urgentemente de escoramento para evitar novos desmoronamentos.

Relatório do IPT apontou a necessidade de eventuais substituições de armaduras de aço e reconcretagem. Crédito: Marcelo Gramani
 


Atualmente, uma equipe interdisciplinar de pesquisadores está no município realizando outros dois trabalhos, com especialistas em geologia, engenharia civil e madeiras. Os técnicos estão orientando o escoramento de outras 29 edificações que também ficaram comprometidas com a enchente. Essa ação vai permitir que as construções tenham condições de segurança e possam ser acessadas durante a execução dos projetos de restauração. As edificações requerem cuidados especiais porque são construídas com técnicas antigas, como a taipa de pilão. O trabalho deverá ser concluído até agosto.

Os geólogos do IPT estão realizando ainda o mapeamento das áreas de risco de escorregamento de encostas e das margens dos cursos de água. Os pesquisadores já concluíram o detalhamento em seis áreas e mais oito serão avaliadas até julho. O relatório com todas as recomendações deverá ser entregue em agosto.

Sobre o Patem

A Secretaria de Desenvolvimento, por meio do Patem, financia serviços especializados do IPT para obtenção de pareceres técnicos em municípios de pequeno e médio porte. Os temas trabalhados pelo Patem são: planejamento territorial, obras de infraestrutura pública, defesa civil, mineração, cerâmica, resíduos sólidos, recursos hídricos, agricultura irrigada, habitação, distritos industriais, turismo e APLs. O programa existe desde 1989. Ao longo desses 20 anos, já foram investidos mais de R$ 15 milhões em mais de 500 atendimentos.