Pgina inicial do IPT   >  Notícias

Notcias


compartilhe


  22.07.10

Qualidade em medies


Laboratório do IPT amplia sua capacidade de produção ao certificar materiais de referência para a indústria


O IPT renovou e modernizou sua estrutura de medições para determinações de alta qualidade em química no Laboratório de Referências Metrológicas (LRM) do Centro de Metrologia em Química, o que permitirá o desenvolvimento de novos materiais de referência certificados (MRC), e a promoção de novos programas de proficiência interlaboratoriais, que apóiam a garantia de qualidade das medições na indústria siderúrgica, metalúrgica, mineração e petróleo, além de universidades e instituições de pesquisa do Brasil e do exterior.
Laboratório disponibilizou mais de 130 tipos de materiais com diversas propriedades certificadas
 

Desde sua fundação em 1976, o laboratório desenvolveu e disponibilizou mais de 130 tipos de materiais com diversas propriedades certificadas (em ligas metálicas, minerais, produtos de petróleo), que são utilizados nas calibrações instrumentais e validação de metodologias de análise química e de ensaios físico-químicos. Com a evolução das tecnologias, a indústria e a universidade precisam hoje de padrões com mais propriedades certificadas, em teores até 10 mil vezes menores que os necessários em 1990, por exemplo.

De acordo com o pesquisador Ricardo Zucchini, responsável pelo LRM, a modernização da instrumentação, a reconstrução do laboratório, a adequação da infraestrutura e a aquisição de um conjunto significativo de padrões importados permitiu ampliar a capacidade de produção, melhorar a rastreabilidade das determinações realizadas no laboratório e proteger melhor os ambientes de análise das contaminações ambientais e cruzadas.
IPT renovou e modernizou sua estrutura de medições
 

“Houve nos últimos anos uma evolução da nossa estrutura de produção e de medição que tem realmente um impacto imenso para a capacidade do IPT em certificar materiais de referência”, afirma Ricardo Zucchini . “Além dos materiais tradicionais, estamos desenvolvendo também certificações de novos materiais, inclusive com alguns elementos químicos em teores ultra-baixos, novas propriedades físico-químicas, e propriedades de produtos de petróleo, visando suprir as demandas de laboratórios que precisam atender os requisitos e as legislações mais avançadas”.

O LRM, com apoios combinados do CNPq, de R$500 mil; Finep, R$1 milhão e 500 mil e IPT, por meio do projeto de modernização, R$400 mil; realizados entre 2005 e 2009, conseguiu superar uma séria obsolescência instrumental e de instalações físicas, renovando e modernizando sua estrutura de medições.