Pgina inicial do IPT   >  Notícias

Notcias


compartilhe


  01.10.10

Resduos da construo civil


Seminário nacional de resíduos sólidos, em setembro, teve participação do IPT com estudo sobre setor da construção


Gestão de resíduos sólidos, da geração ao tratamento e disposição final, foi o tema central do “Seminário Nacional de Resíduos Sólidos e Limpeza Pública – Senalimp”, promovido pela ABLP – Associação Brasileira de Limpeza Pública e Resíduos Sólidos. O evento realizou-se no período de 22 e 24 de setembro, em Itupeva, no interior paulista. O pesquisador Sergio Angulo, do Centro de Tecnologia de Obras de Infraestrutura do IPT, participou do evento e apresentou trabalho intitulado “Resíduos da construção civil”.
Autoconstrução praticada em áreas de risco, problema comum em grandes cidades
 

O objetivo de Sergio Angulo no Senalimp foi discutir o estágio atual do gerenciamento e reciclagem dos resíduos de construção e demolição (RCD) no cenário nacional. “Nos estudos que tenho realizado e acessado, percebi que os geradores informais (autoconstrução e reformas) são os maiores responsáveis pela geração. Por isso devemos criar instrumentos legais e de gestão específicos para melhorar a implementação da resolução Conama 307 (que dispõe sobre resíduos da construção civil)”.

Para ele, a disseminação da resolução depende muito da implantação extensiva dessas práticas em pequenos municípios. “Devemos facilitar a formação de consórcios municipais para a implantação das práticas de gestão e reciclagem. Muitas alternativas tecnológicas estão disponíveis para viabilizar o uso do resíduo como areia e brita para a construção civil e precisam ser melhor compreendidas, simuladas e implementadas.”

Sobre os principais desafios para a gestão de resíduos sólidos no Brasil, Angulo destaca três aspectos. Difundir a implantação da resolução Conama em pequenos municípios eliminando o descarte ilegal; introduzir práticas de redução da geração de resíduos para geradores informais e disseminar tecnologias apropriadas de reciclagem e práticas de controle de qualidade deste material que permitam reverter indicadores de reciclagem nacionais, "não superior a 5 % do total de resíduo gerado", afirma.

O foco deste encontro foram autoridades da administração pública, profissionais do setor, pesquisadores, estudantes, técnicos operacionais e vinculados ao manuseio dos resíduos sólidos, além de representantes de empresas que operam na área de limpeza urbana e saúde. “O Senalimp (...) difunde modelos sustentáveis de soluções, atualização dos conhecimentos, transferência de tecnologias e desenvolvimento e modernização da indústria nacional”, informou João Gianesi Netto, diretor da ABPL.