Pgina inicial do IPT   >  Notícias

Notcias


compartilhe


  28.10.10

Ar comprimido de qualidade


Com investimento de R$ 1,1 milhão, é inaugurado o primeiro laboratório do país para certificar sistemas 


O Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) inaugurou nesta quinta-feira, 28 de outubro, o novo Laboratório de Sistemas de Ar Comprimido e Gases (LASAG), desenvolvido em parceria com a Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (ABIMAQ). O laboratório é o primeiro no país voltado à análise e testes de equipamentos e sistemas de ar comprimido e gases, como compressores, filtros, válvulas, secadores e instalações pneumáticas, entre outros, permitindo certificar a qualidade desses sistemas instalados em plantas industriais, comerciais e hospitalares. O LASAG recebeu investimento de R$ 1,1 milhão, sendo R$ 700 mil da FINEP, R$ 250 mil da ABIMAQ e R$ 150 mil do próprio IPT. Além disso, houve a doação de equipamentos laboratoriais pelos fabricantes.

Trabalho no LASAG será realizado com base em normas internacionais reconhecidas
 

A ideia do laboratório foi proposta pela Câmara Setorial de Ar Comprimido e Gases (CSAG), da ABIMAQ, e pelo Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico da Indústria de Máquinas e Equipamentos (IPDMAQ). “A indústria, os fabricantes e os hospitais precisavam de um órgão técnico que pudesse caracterizar, por meio de testes e ensaios confiáveis, equipamentos e sistemas de ar comprimido tanto em termos de desempenho do produto como de qualidade do ar”, afirma Kazuto Kawakita, diretor do Centro de Metrologia de Fluidos (CMF) do IPT, que abriga o novo laboratório.

Na indústria, vários equipamentos e processos utilizam o ar comprimido, seja no acionamento de ferramentas, jateamento de peças, pintura, válvulas e movimentação de peças. “A qualidade do ar deve ser adequada a cada tipo de aplicação”, afirma Kawakita.

O presidente da Comissão de execução do projeto LASAG, Jayme Bydlowski, explica que atualmente os testes são realizados por empresas especializadas contratadas para esta finalidade ou são feitos pelos próprios fabricantes. “Os testes realizados pelo LASAG terão o diferencial de serem desenvolvidos por um instituto que tem credibilidade comprovada e reconhecimento pelo mercado”.

Uma atuação importante do laboratório se dará em relação à caracterização da qualidade do ar em seus diferentes usos, o que é, por exemplo, fundamental em hospitais, que mantêm instalações complexas, com compressores, filtros e redes de distribuição. “Se houver, por exemplo, um mau funcionamento de um compressor, filtro, secador, um ponto de corrosão na linha ou de contaminação na rede, isso pode prejudicar a qualidade do ar em todo o complexo hospitalar”, afirma Kawakita. Também, em relação às instalações odontológicas e hospitalares, é preciso atentar para o risco do desenvolvimento de microorganismos no sistema, adverte o pesquisador.

“Não existe processo industrial sem ar comprimido. Todos os remédios que tomamos e os alimentos que comemos passam por sistemas de ar comprimido”, complementa Bydlowski.

Os ensaios serão realizados pelo LASAG com base em normas internacionais reconhecidas, como, por exemplo, a ISO 8573-1, que trata de contaminantes e classes de pureza do ar comprimido; e a norma ISO 1217, voltada ao desempenho de compressores. Segundo Kawakita, o trabalho do LASAG também dará subsídios para que a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) regulamentem o assunto no país, produzindo normas de uso do ar comprimido nos diferentes setores da indústria e da sociedade.

O novo laboratório tem área de 300 metros quadrados e está instalado no prédio 45 do campus do IPT, na Cidade Universitária. A princípio, será operado por dois pesquisadores e um técnico, além da equipe de campo, que atua com uma unidade móvel para verificar as condições operacionais de sistemas já instalados.