Pgina inicial do IPT   >  Notícias

Notcias


compartilhe


  18.03.11

Cunha recebe carta geotcnica


Governador Alckmin entregou à Prefeitura Municipal documento técnico elaborado pelo IPT


Na terça-feira, dia 8 de março, o governador Geraldo Alckmin entregou à Prefeitura de Cunha a “Carta Geotécnica de Planejamento e Gestão Territorial” do município, localizado a 235 quilômetros da capital. Elaborado por uma equipe técnica do Centro de Tecnologias Ambientais e Energéticas do IPT, o documento contém mapas e informações relevantes para o planejamento e a gestão territorial do município. O estudo atende a uma solicitação da Prefeitura de Cunha, feita há cerca de um ano, por meio do Programa de Atendimento Tecnológico aos Municípios (Patem), gerido pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo.

Segundo o pesquisador do IPT Carlos Geraldo Luz de Freitas, coordenador do estudo, a carta geotécnica apresenta dados e análises dos processos do meio físico tais como escorregamentos, inundações e erosões. “A interação dos processos do meio biótico (fauna e a flora) e do uso e ocupação do solo (urbano, industrial, rural, turismo, sistema viário, saneamento, entre outros), permite a avaliação do grupo gestor municipal para estabelecer metas e ações de desenvolvimento, normas para a ocupação e seu monitoramento”, afirma ele. “Trata-se de uma ferramenta básica de planejamento, em que os dados são regionais e o detalhamento parcial, possibilitando solicitações posteriores de cartas geotécnicas detalhadas como, por exemplo, referentes a risco, parâmetros para projetos e obras, hidrogeológica e ordenamento territorial geomineiro.”

Governador Geraldo Alckmin na entrega da carta geotécnica: documento contém mapas e informações relevantes para o planejamento e a gestão territorial do município. Crédito foto: Sergio Andrade
 


O período para atualização das cartas geotécnicas depende de cada situação, como novos dados do meio ambiente físico, biótico e antrópico; novos objetivos de planejamento, como a escolha de áreas para construção de aterro sanitário; ou situações relacionadas com a dinâmica de ocupação que alterem os processos naturais. A Carta Geotécnica de Planejamento e Gestão Territorial tende a ter aplicação em tempos mais longos quando comparada com as Cartas Geotécnicas de Risco, pois estas requerem atualizações constantes.

“O recurso dos municípios paulistas ao Patem – são 645 ao todo – é interessante tanto no aspecto financeiro, pois a Secretaria participa com a maior parte dos recursos, quanto pela possibilidade de interagir com outros programas da Secretaria e mesmo do Estado. É importante ressaltar a necessidade de material básico disponível na escala desejada, principalmente os mapas planialtimétrico e geológico. Além disso, deve haver participação de técnicos do município nos trabalhos, para mostrar suas necessidades prioritárias e, ao final, ter condições de melhor utilizar e atualizar a carta geotécnica”, diz Freitas.