Pgina inicial do IPT   >  Notícias

Notcias


compartilhe


  24.03.11

Tecnologia para a indstria


Experiência da Petrobras com IPT na área de corrosão gera conhecimento e agrega valor


Caso bem-sucedido envolvendo os setores produtivo e de pesquisas foi relatado no painel intitulado “Experiência de cooperação entre indústria e instituto de pesquisa”, por Carlos Alexandre Martins, consultor técnico da Petrobras, durante a “1ª Jornada IPT-Fraunhofer” no dia 22 de março. O relacionamento entre empresa e instituto amadureceu ao longo do tempo e de diversos trabalhos conjuntos, informou Martins. “Nossas demandas eram atendidas regularmente pelo Cenpes (Centro de Pesquisas da Petrobras). A partir de 2001 os trabalhos começaram a deslanchar, coincidindo com o momento em que a Petrobras iniciou a diversificação das fontes de energia, consolidadas com o Pré-Sal. Nossa interação com o IPT ganhou massa com o estudo sobre a resistência dos materiais à corrosão, analisando um revestimento protetor de superfícies metálicas para aplicação em águas profundas. Nestes 10 anos foram desenvolvidos, ou estão em andamento, cerca de 50 novos projetos coordenados pelo Cenpes.”
Carlos Alexandre Martins, consultor técnico da Petrobras, durante a “1ª Jornada IPT-Fraunhofer”
 

Segundo Martins, a Petrobras tem por diretriz buscar soluções tecnológicas para uso próprio. “Assim foi em diversos projetos como os de alternativas ao cádmio para revestimentos, buscando soluções ambientalmente seguras, monitoramento de corrosão interna em dutos e o investimento na implantação de um laboratório de corrosão no IPT, o LACID, capacitado para realizar testes de produtos químicos e novos equipamentos", afirma. O IPT virou um braço tecnológico capaz de testar produtos de  fornecedores que querem vender para a Petrobras. "Investimos em um laboratório flutuante coordenado pelo IPT para testes de corrosão offshore. Foram desenvolvidos estudos que geraram patentes, como no caso da corrosão em dutos pelas correntes alternadas. Há ainda estudos de corrosão em frestas e de movimentação de energéticos como gasolina, etanol, diesel e gás em contato com diferentes tipos de aços. O nacionalmente premiado LACID tornou -se referência internacional em normas para testes de corrosão em dutos.”

A Petrobras selecionou o IPT para integrar sua rede tecnológica de excelência, basicamente, por ser uma instituição reconhecida no País e no exterior pela sua atuação nas áreas de materiais e de equipamentos. Martins vê vantagens no estreitamento de laços entre o IPT e institutos Fraunhofer pelo ganho de competências a um custo competitivo. “Pesquisar é bom mas, como temos pressa, procuramos sempre otimizar as parcerias.”