Pgina inicial do IPT   >  Notícias

Notcias


compartilhe


  20.04.11

Prmio Destaque 2011


Profissional do IPT recebe prêmio do Grupo Cipa em reconhecimento ao Projeto Brasil sem Chamas


Luciana Alves, do Laboratório de Segurança ao Fogo do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), foi uma das vencedoras do Prêmio Destaque 2011, entregue na noite de ontem, 19 de abril, em São Paulo. Instituído em 2001 pelo Grupo Cipa, o prêmio é uma homenagem anual aos profissionais que se destacam em atividades nos setores de segurança e saúde no trabalho, segurança privada e de prevenção e combate a incêndio.

Os vencedores do Prêmio Destaque foram escolhidos por votação em três etapas. Na primeira, os leitores e internautas apontaram seis profissionais que se destacaram em seus setores de atuação durante o ano de 2010 e as razões da escolha dos nomes. A votação foi feita por meio de formulários encartados nas revistas (Cipa, Incêndio e Security) do Grupo Cipa e pela internet.
Luciana recebe o prêmio Destaque 2011 do engenheiro industrial e de segurança do trabalho da Confederação Geral dos Trabalhadores, Joel Félix. Crédito foto: Osiris Bernardino
 
Na segunda fase, os nomes indicados foram apresentados às entidades do setor e selecionados dez candidatos; finalmente, na terceira e última etapa, os vencedores das edições anteriores escolheram cinco profissionais da lista.

Os três profissionais mais votados receberam o Prêmio Destaque 2011, e os outros dois receberam o título Menção Destaque. Luciana foi a mais votada na categoria “Prevenção e Combate a Incêndio” e foi contemplada com o Prêmio Destaque. A indicação da profissional foi motivada por sua atuação no Projeto Brasil Sem Chamas – coordenado pelo laboratório ligado ao Centro Tecnológico do Ambiente Construído do IPT – cujo objetivo é o diagnóstico da situação da segurança contra incêndios no país.

“Fui indicada por um trabalho cuja principal característica é a construção coletiva, feita por meio da contribuição de distintas expertises de diferentes regiões do país, como Rio de Janeiro, Santa Catarina, São Paulo, Ceará, Alagoas, Goiás e Brasília. Considero esta premiação como reconhecimento à dedicação de muitas pessoas”, afirma Luciana.

O projeto foi iniciado em 2005 e está em conclusão de sua segunda fase, na qual serão apontadas soluções para os problemas diagnosticados. O próximo passo será a criação de uma central nacional de segurança contra incêndios, o Observatório Brasil Sem Chamas, no qual se pretende coletar, organizar e disponibilizar um banco de dados na internet com informações das áreas urbana, rural e florestal. “Este prêmio aumenta a nossa responsabilidade e dá uma maior visibilidade ao projeto. Isso mostra que estamos desenvolvendo um trabalho sério”, afirma Luciana.