Pgina inicial do IPT   >  Notícias

Notcias


compartilhe


  29.07.11

Apoio em Bragana Paulista


Equipe do IPT elabora diagnóstico sobre segurança estrutural de imóveis danificados por chuvas


Fonte: Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia

Uma equipe de técnicos do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) está finalizando o relatório que aponta medidas a serem tomadas em áreas atingidas por fortes chuvas no início do ano, em Bragança Paulista. Na ocasião, houve o solapamento de rios e encostas, que resultaram no desabamento de parte de algumas edificações na Avenida José Gomes da Rocha Leal, próximas ao Ribeirão Lavapés, no centro do município.
Equipe da Seção de Engenharia de Estruturas do IPT realiza sondagem a trado
 

Após três meses de estudos, a equipe do IPT avaliou as condições de segurança de 17 imóveis e duas pontes, além da situação geológica de trechos afetados por erosões, para subsidiar a indicação de obras de estabilização e correção de danos. Os detalhamentos do estudo e o mapeamento das áreas de risco deverão ser entregues à prefeitura nas próximas semanas.

Os trabalhos foram financiados com recursos do Programa de Apoio Tecnológico aos Municípios (Patem), executado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo. No total, foram destinados pelo programa estadual R$ 190.305,29 mil, via convênio com a prefeitura, que irá apresentar a contrapartida de R$ 42.183,29.

“Com o suporte oferecido pelo programa, o município recebe um diagnóstico que aponta as causas e indica o caminho para a resolução dos problemas”, explica o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Paulo Alexandre Barbosa.

Sobre o Patem
Por intermédio do Programa de Apoio Tecnológico aos Municípios (Patem), a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia financia serviços especializados do IPT para obtenção de laudos emergenciais em municípios de pequeno e médio porte. Os temas trabalhados pelo Patem são: planejamento territorial, obras de infraestrutura, defesa civil, mineração, cerâmica, resíduos sólidos, recursos hídricos, agricultura irrigada, habitação, distritos industriais, turismo e Arranjos Produtivos Locais. O programa existe desde 1989. Ao longo de 22 anos, já foram investidos mais de R$ 16 milhões em mais de 550 atendimentos.