Pgina inicial do IPT   >  Notícias

Notcias


compartilhe


  10.10.11

reas de risco em Santos


Mapeamento será realizado por equipe do IPT para prevenir acidentes naturais nas encostas dos morros


Fonte: Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia

Com o objetivo de prevenir acidentes naturais nas encostas dos morros, o prefeito de Santos, João Paulo Tavares Papa, e o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Paulo Alexandre Barbosa, assinaram na manhã de sexta-feira, sete de outubro, no Paço Municipal, o contrato para a atualização do Plano Municipal de Redução de Riscos da cidade, confeccionado originalmente em 2005.

O trabalho inclui o mapeamento de áreas antigas e novas e será realizado por técnicos do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), através de recursos disponibilizados pelo Programa de Apoio Tecnológico aos Municípios (Patem). Para a realização do estudo, a SDECT disponibiliza R$ 218.200,76. Caberá à Prefeitura a contrapartida de R$ 111.800,33, correspondente às diárias pagas para os técnicos do IPT envolvidos no projeto.

A atividade consiste na reavaliação completa do mapeamento das áreas de risco associado a processos de instabilidade nos terrenos nas encostas dos morros. O prazo para a execução desses trabalhos é de seis meses.

“É um investimento de baixo custo, comparando-se os resultados positivos que proporciona. Com os laudos técnicos, os municípios podem adotar medidas que evitem acidentes de consequencias imprevisíveis. O IPT é de uma excelência técnica indiscutível e está cada vez mais presente nas cidades, para detectar problemas, propor soluções e especialmente salvar vidas com as ações preventivas”, justificou o secretário.

Para Papa, o convênio é fundamental para a cidade, principalmente para a segurança das pessoas que vivem em encostas e áreas de risco. “O IPT é um órgão que tem especialização, com equipamentos de ponta que permitem uma atualização bastante rigorosa com a qualidade necessária para possamos realizar as intervenções necessárias a partir de agora”.