Pgina inicial do IPT   >  Notícias

Notcias


compartilhe


  31.10.11

Mestrado profissional


Nova turma foi formada no dia 27 de outubro. Mestrando do IPT leva inovação em negócios para dentro da empresa


O Mestrado Profissional em Processos Industriais de Pedro Donizeti Ferrari, da Volkswagen do Brasil, teve foco na ferramentaria, que é a unidade produtora de peças estampadas em chapas como, por exemplo, os para-lamas fabricados pela montadora. Até 2010, a ferramentaria era voltada exclusivamente para trabalhos da própria empresa. “A partir do Mestrado no IPT, no qual pude estudar tecnicamente o caso, partimos para uma mudança de foco e a área virou uma unidade de negócios da empresa. Hoje, além de atender prioritariamente as demandas da própria Volkswagen, também buscamos e levamos soluções para outras montadoras do mercado nacional e internacional, tendo como clientes as ferramentarias de diversas empresas do ramo.”

Mestrado profissional do IPT: intenção é aliar a teoria e o conhecimento do aluno na sua atividade
 
O caso de Ferrari é um dos que confirmam o ponto de vista do coordenador de Ensino Tecnológico do IPT, o pesquisador Eduardo Machado: “Formamos profissionais capacitados e com o diferencial do conteúdo tecnológico voltado à prática”. A partir do mestrado profissional do IPT, muitos alunos experimentam mudanças na suas carreiras; alguns migram para a área acadêmica, outros aplicam conhecimentos que impactam as empresas.

“Muitos trazem problemas práticos para resolver no Instituto, no qual o potencial inovador é muito alto. É importante esta visão técnica mais aprofundada, em que procuramos aliar a teoria e o conhecimento do próprio aluno na sua atividade", completa Machado. "Este é nosso diferencial em relação ao mestrado acadêmico: o aluno está inserido no mercado, muito mais próximo da sua realidade profissional.”

FOCO NO MERCADO – O Mestrado Profissional do IPT, que conta com o apoio da Fundação de Apoio ao Instituto (Fipt), implantou em 1998 os cursos de Engenharia da Computação e Habitação: Planejamento e Tecnologia, e posteriormente vieram Processos Industriais e Tecnologia Ambiental. Já foram formados cerca de 750 profissionais. O diretor de Inovação do Instituto, Fernando Landgraf, reafirmou uma trajetória de construção compartilhada do conhecimento do Mestrado. “A experiência do Mestrado no IPT fica na vida de cada um como uma etapa importante para a construção de uma competência estruturada e consistente.”

Outros mestrandos levam na bagagem profissional um acréscimo de conhecimento técnico com potencial modificador. No Mestrado em Habitação, a engenheira Amanda Carla Martins Montouto, da Construtora MBigucci, leva para a prática novos conhecimentos sobre produtividade da mão de obra na construção; a arquiteta Valéria Pontes Guimarães, da Construtora Cyrella, aperfeiçoou procedimentos de vistoria de imóveis para entrega aos novos proprietários.

Na Engenharia da Computação, Patrícia Bonezi Nunes da Mota será uma multiplicadora de novos conhecimentos em TI em duas frentes de atuação: na empresa Multirede e na Universidade Paulista, a Unip. Em Tecnologia Ambiental o geólogo Duílio Rondinelli, do Centro de Tecnologias Ambientais e Energéticas do IPT, passou por um aperfeiçoamento de conhecimentos aplicados à prática, enquanto a advogada Yoko Miyazono Alves Pinto, da Coordenadoria de Suprimentos do IPT, realizou estudo pioneiro sobre responsabilidades legais do perito na análise de desastres naturais, com foco em deslizamentos.