Pgina inicial do IPT   >  Notícias

Notcias


compartilhe


  17.05.12

Concreto mais resistente


IPT aumenta competência na área de construção civil com a capacitação de profissionais no mercado de concretagem


Com objetivo de se desenvolver profissionalmente e trazer capacitação avançada na área de concreto auto-adensável reforçado com fibras para o Laboratório de Materiais de Construção Civil (LMCC) do CT-Obras, o pesquisador Rafael Francisco Cardoso dos Santos, engenheiro civil, ficou em Portugal durante cinco meses, de novembro de 2011 até abril deste ano, por meio do Programa de Desenvolvimento e Capacitação no Exterior (PDCE) e está pronto para enfrentar novos desafios em sua área de atuação.

Rafael Francisco Cardoso dos Santos ficou durante cinco meses em estudo na Universidade Do Minho, em Portugal
 
Ele ficou sob orientação de um especialista na área, o Professor Doutor Joaquim António Oliveira Barros, que coordena um grande projeto sobre a investigação do concreto auto-adensável com fibras de aço, na Universidade Do Minho, em Guimarães. Esse tipo de concreto já existe no Brasil, porém tem sua utilização limitada devido à falta de conhecimento profundo dos profissionais.

O concreto auto-adensável é uma categoria especial, auto-nivelante. Ele utiliza de agregados com dimensões menores se comparado ao concreto convencional, permitindo que o concreto preencha completamente todo o espaço na estrutura, sem criar vazios e sem a necessidade de vibração mecânica provocada para o material preencher o local desejado. Pode ser utilizado em construções, em estruturas leves ou até em obras de arte. O uso de alto teor de fibras de aço no concreto pode possibilitar, em casos especiais, na redução da taxa de armadura de aço das estruturas, melhorando algumas de suas propriedades físico-mecânicas - resistência à compressão, ao impacto, às altas temperaturas, a flexão, e capacidade de absorção de energia. O concreto se caracteriza por ter um comportamento frágil, porém com a presença das fibras de aço, esse material passa a ter um comportamento pseudo-dúctil, apresentando uma resistência residual a esforços mesmo após uma fissuração.

Além das vantagens citadas, o uso deste material também é compensador em questão de sustentabilidade, já que em sua constituição são utilizados materiais finos, de reaproveitamento de resíduos, como o pó de calcário, pó de pedra, entre outros materiais que fazem o concreto apresentar características reológicas de fluidez e coesão, com bom potencial de resistência.

As fibras de aço dentro do concreto auto-adensável melhoram a eficiência do material
 
“O concreto auto-adensável tem a vantagem de não precisar de vibração externa, resultando em uma melhor estabilidade reológica do concreto no estado fresco, o que leva a uma distribuição uniforme das fibras dentro do concreto, que melhora a eficiência do material. Com a utilização das fibras de aço, esse material se torna uma excelente opção para utilização em estruturas especiais, que apresentem dificuldade na concretagem devido às altas taxas de armadura nas seções, estruturas submersas, ou que necessitem de propriedades físico-mecânicas superiores ao concreto convencional” explicou o pesquisador. Segundo Santos, sua equipe está desenvolvendo dentro do IPT um projeto interno sobre concreto auto-adensável, que agora poderá avançar em aplicações mais especializadas e atender a demanda do mercado, elaborando propostas nessa área.

Santos contou que nesse tempo fora do país, acompanhou o doutorado de um grupo de estudantes iranianos e aproveitou o projeto deles para aumentar seus conhecimentos práticos e fazer contato com uma nova cultura. “Consegui trabalhar com pessoas atualizadas e com a meta de que o assunto seja estudado, disseminado e aperfeiçoado. Voltei mais confiante, com muita vontade em atuar nos projetos e encarar os desafios diários que o IPT nos proporciona”, disse. Além disso, o pesquisador contribuiu para um artigo que, em breve, será publicado em uma revista internacional.