Pgina inicial do IPT   >  Notícias

Notcias


compartilhe


  12.06.12

Visitantes franceses


Comitiva da Universidade de Lyon, França, visita o IPT e mantém contatos na área de engenharia civil


A comitiva francesa que visitou o IPT na tarde da quarta-feira, dia 6 de junho, composta pelos diretores de relações internacionais da Escola Nacional de Obras do Estado (ENTPE), Nicolas Farge, e do Instituto Nacional de Ciências Aplicadas de Lyon (INSA), Marie-Pierre Favre, foi acompanhada pelo adido de Ciência e Tecnologia do Consulado da França em São Paulo, Gérard Chuzel.

INSA é um dos participantes do BRAFITEC, programa de intercâmbio de estudantes entre Brasil e França - na foto, a Biblioteca Marie Curie, especializada em ciências da engenharia, humanas e sociais
 
Segundo Eduardo Valle, gerente de Relações Corporativas do IPT, a ENTPE e o INSA são duas das 18 instituições de pesquisa tecnológica vinculadas ao Polo de Ensino Superior e Pesquisa (PRES) "Université de Lyon". “O objetivo principal da reunião foi apresentar trabalhos do IPT em construção civil e conhecer a atuação dos institutos franceses nessa área, visando identificar oportunidades de parceria. O INSA, que como o IPT é multidisciplinar, tem interesse também em tecnologia energética, elétrica, de materiais e mecânica.”

O INSA é também um dos principais participantes do BRAFITEC (BRasil FRance Ingénieurs TEChnologie), programa bilateral para a formação de engenheiros financiado pelos governos brasileiro e francês que promove o intercâmbio, em média, de 60 estudantes brasileiros por ano em 14 universidades parceiras na França.

As apresentações técnicas do IPT foram feitas por Luciana Oliveira, pesquisadora do Centro Tecnológico do Ambiente Construído, e Ivanísio de Lima Oliveira, do Centro de Tecnologia de Obras de Infraestrutura.
Escola Nacional de Obras do Estado (ENTPE) é uma das 18 instituições de pesquisas vinculadas ao Polo de Ensino Superior e Pesquisa (PRES)
 
Para Thierry Valentin, vinculado à Embaixada da França no Brasil, a visita dá sequência à negociação de um acordo mais amplo que envolve pelo lado brasileiro a USP e a FAPESP. Valentin informou também que a reunião com o IPT e demais encontros realizados ao longo da semana “poderão determinar os contextos de um acordo estratégico perene entre as partes envolvidas.”