Pgina inicial do IPT   >  Notícias

Notcias


compartilhe


  23.10.13

Experincias em inovao


Cases de clientes públicos e particulares são mostrados pelo diretor-presidente do IPT no evento SP Cidade da Inovação


Cases bem-sucedidos de inovação tecnológica foram apresentados pelo diretor-presidente do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) durante o evento ‘São Paulo: Cidade da Inovação’, realizado na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) na tarde de segunda-feira, 21 de outubro. Fernando Landgraf iniciou a apresentação com números sobre o total de empresas atendidas pelo Instituto (3.656 em 2012, e 3.255 até setembro deste ano) e mostrou a procedência das receitas – 49% de desenvolvimento e apoio metrológico; 29% de serviços tecnológicos; 21% de P&D&I e 1% dos cursos de Mestrado Profissional.

Landgraf enfatizou em sua apresentação o aumento da demanda das indústrias pela inovação e do volume de recursos disponibilizado pelos governos federal e estadual para apoio às pesquisas: “Não concordo com a ideia de que inovação é um modismo, pois a indústria brasileira precisa dela para aumentar sua competitividade; no caso do IPT, apenas 13% da receita era ligada a atividades de P&D&I em 2010, e este índice subiu para 17% em 2011 e 21% em 2012. A expectativa é atingirmos 24% em 2013, superando as metas de percentual de nossa receita em projetos de inovação”.

Fernando Landgraf (segundo, da esq. para a dir): "Inovação não é modismo; indústria brasileira precisa dela para aumento da competitividade" - Crédito foto: Divulgação Fiesp
 
A apresentação dos cases de inovação contemplou projetos dedicados tanto ao setor público quanto privado. O primeiro deles foi do reflorestamento por semeadura aérea na Serra do Mar, na década de 1980, no qual equipes do IPT, do Instituto Florestal (IF) e do Instituto de Botânica (IBt), sob a coordenação da Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb), reinventaram a metodologia para recuperar a cobertura vegetal devastada. A solução encontrada foi a peletização das sementes em gel hidrofílico, um material desenvolvido na Divisão de Química do IPT com propriedades para manter os nutrientes e a umidade, e de características semelhantes às de uma bolinha de gelatina transparente.

O segundo case foi da iluminação pública que resultou no “Prêmio Procel Cidade Eficiente em Energia Elétrica” pela parceria no projeto de implantação do gerenciamento dos recursos de iluminação pública da cidade paulista de Guarulhos. A prefeitura foi premiada na categoria Gestão Energética Municipal, assim como a outra parceria envolvida nos trabalhos, a distribuidora de energia elétrica EDP Bandeirante, bem como o IPT. Para finalizar os trabalhos dedicados à gestão pública, Landgraf apresentou as competências do IPT em arborização urbana e como novas tecnologias como a tomografia pode auxiliar a minimizar problemas de queda de árvores.

EMPRESAS – Dois cases de apoio tecnológico ao setor privado foram destacados na apresentação de Landgraf. O primeiro deles teve como cliente a Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração, a CBMM, que é a maior produtora de nióbio do mundo. A empresa enfrentava um gargalo em seu processo de desfosforação, e o IPT trabalhou junto à empresa durante dez anos no desenvolvimento de um processo pirometalúrgico de remoção de fósforo. Os estudos foram feitos em escala laboratorial, depois em escala-piloto e levaram à implantação industrial – hoje, 100% das ligas de ferro-nióbio da CBMM são produzidas a partir de processos desenvolvidos com o auxílio do Instituto.

O segundo mostrou as competências para auxílio às micro e pequenas empresas oferecidas pelo Núcleo de Atendimento Tecnológico à Micro e Pequena Empresa do IPT. Os pesquisadores desta unidade auxiliaram a Fanem, empresa que atua no ramo médico-hospitalar-laboratorial, a aperfeiçoar um equipamento inovador de fototerapia para tratamento de icterícia em bebês, empregando lâmpadas LED eficientes e de menor consumo energético.

Participaram também do painel moderado pelo diretor-geral do Instituto Superior de Inovação e Tecnologia, Antonio Octaviano, o professor da Escola Politécnica da USP, José Lerosa de Siqueira, que representou a Agência USP de Inovação, e o secretário-executivo da Anpei, Naldo Dantas.

INOVAÇÃO INDUSTRIAL – Antes da abertura do painel, foi apresentado o site Inovação Industrial, desenvolvido pela Federação e o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp) e pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP).

O novo canal de comunicação disponibiliza informações relevantes aos empresários que pretendem ampliar sua competitividade por meio da inovação, como linhas de financiamentos disponíveis e um sistema que permite as empresas realizarem a sua autoavaliação no quesito inovação.

Clique aqui pode acessar o novo site.