Pgina inicial do IPT   >  Notícias

Notcias


compartilhe


  03.02.14

rvores em Porto Alegre


Análise de risco de queda de 150 árvores urbanas será realizada pelo IPT na capital do Rio Grande do Sul


Atualizado em 20 de fevereiro

Após uma solicitação da prefeitura de Porto Alegre, o Laboratório de Árvores, Madeiras e Móveis do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) realizará um estudo das condições de 150 árvores da região central da cidade e do Parque Farroupilha. Depois da análise, os profissionais do IPT irão ministrar um curso para os técnicos da prefeitura, para que eles estejam capacitados a realizarem este tipo de avaliação. A proposta de avaliação estava em negociação desde setembro de 2013 e as análises começam hoje, três de fevereiro.

Laboratório de Árvores, Madeiras e Móveis fará a análise de 150 árvores em diversas áreas da cidade
 
O diagnóstico de árvores feito pelo IPT é dividido em duas etapas. Uma análise externa avalia as condições das árvores e indícios que possam oferecer riscos a população, com base nas suas características. Este procedimento será realizado em aproximadamente uma semana e uma equipe técnica de quatro profissionais do laboratório participa da análise.

A segunda etapa será uma avaliação interna para buscar deteriorações por meio de equipamentos como tomógrafos, que fornecem imagens da região interna da árvore, e o penetrógrafo, equipado com uma broca que, ao ser inserido no lenho da árvore, pode indicar a ausência de materiais e tecidos internos. Os técnicos devem levar nesta análise cerca de duas semanas para concluir todos os procedimentos.

“Será uma excelente oportunidade de aprender com novas experiências e conhecer sobre a arborização em outras cidades. Podemos assim aprimorar nossa análise a partir de novas situações encontradas”, afirma o pesquisador Vinicius Felix Pacheco, do Laboratório de Árvores, Madeiras e Móveis.

Os técnicos da prefeitura acompanharão todas as fases das avaliações. Após a conclusão das análises, no começo de março, um relatório será elaborado com sugestões de melhorias que podem incluir desde o manejo de determinada árvore até mesmo cuidados com insetos xilófagos (cupins, por exemplo), determinando ainda a relevância do organismo na deterioração da árvore.

Posteriormente será realizado um curso de diagnóstico e análise de risco de queda de árvore para os profissionais da prefeitura. O curso será de uma semana (40 horas) e dois profissionais do laboratório ministrarão as aulas, que envolvem uma parte teórica e outra prática. O objetivo do curso é disseminar o conhecimento a fim de aperfeiçoar as técnicas de avaliação atualmente utilizadas para gerir as árvores urbanas das cidades.