Pgina inicial do IPT   >  Notícias

Notcias


compartilhe


  27.04.15

Novos ensaios para trfego


Laboratório do IPT desenvolve capacitação para avaliação do desempenho de painéis de mensagens variáveis


Uma nova série de ensaios para o mercado de equipamentos eletrônicos está disponível no Instituto de Pesquisas Tecnológicas. A avaliação do desempenho visual de painéis de mensagens variáveis (PMVs), equipamentos instalados em sistemas viários para orientação do tráfego urbano e rodoviário que desempenham papel importante nos sistemas inteligentes de transporte, pode ser agora realizada pelo Laboratório de Equipamentos Elétricos e Ópticos do IPT.

Os primeiros testes no IPT foram realizados a pedido da Aspect Mídia, fabricante de painéis eletrônicos de leds (diodos emissores de luz) e desenvolvedora de sistemas de gerenciamento do atendimento. A empresa solicitou auxílio ao Núcleo de Atendimento Tecnológico à Micro e Pequena Empresa do IPT por meio do programa Qualimint, direcionado à qualificação técnica para aprimoramento de produtos (neste caso, para a sua linha de painéis de mensagens variáveis) destinados ao mercado interno.
Imagens e frases transmitidas pelos painéis precisam atender a requisitos de visibilidade por conta da instalação em ambientes internos e externos
 
“Fabricamos os painéis e importamos alguns componentes que não estão disponíveis no Brasil, integrando o conjunto para atendimento das especificações técnicas requeridas pelos clientes, pois não se trata de um ‘produto de prateleira’. Esses equipamentos precisam atender a uma série de requisitos de ordem mecânica, eletrônica, de segurança e de desempenho”, explica Sérgio Mendes Chieco, diretor da empresa.

Algumas das condições poderiam ser avaliadas a partir de normas brasileiras considerando o painel como um equipamento elétrico, mas não existem normas de desempenho no País que estabeleçam o desempenho fotométrico (visibilidade) do equipamento, por exemplo. As imagens e frases transmitidas pelos painéis precisam atender a requisitos de visibilidade pelo fato de eles serem instalados em ambientes internos e externos, com exposição a intempéries como chuva e à insolação direta, sem esquecer a importância de leitura dos motoristas de veículos no período diurno/noturno para eventos como acidentes, congestionamentos, obras e direcionamento do tráfego.

Os ensaios nunca haviam sido executados anteriormente pelo IPT, e a equipe do laboratório precisou inicialmente fazer um estudo da norma internacional DIN EN 12966-1: 2010-03 para analisar a capacitação quanto ao espaço, equipamentos e mão de obra, seguido da avaliação da viabilidade de medição dos parâmetros de desempenho da norma. A norma estabelece os critérios para classificar os painéis em quatro parâmetros fotométricos, isto é, cor, luminância (medida da densidade da intensidade de uma luz emitida em uma dada direção), taxa de luminância e largura do feixe.

Após a confirmação da possibilidade de executar os testes, a área e os instrumentos do laboratório foram adaptados, bem como a complementação da infraestrutura com a aquisição de um projetor. Um pré-teste para avaliar a viabilidade da execução do protocolo do ensaio criado pelo laboratório do IPT marcou a última etapa antes da execução do teste em amostras de módulos de 320 mm x 320 mm x 30 mm (dimensões requeridas pela norma), com 256 leds (diodos emissores de luz), de cada modelo.

“Poderíamos reproduzir ensaios feitos no exterior, mas desenvolvemos um método de acordo com nossa competência e capacidade instrumental”, explica Oswaldo Sanchez Jr, pesquisador do Laboratório de Equipamentos Elétricos e Ópticos do IPT. “Não tivemos acesso a um protocolo e a um procedimento de um laboratório internacional, mas fizemos uma leitura da norma e desenvolvemos o nosso protocolo para medição”.

A execução dos novos ensaios exigiu a aquisição de um projetor especial, semelhante aos modelos de canhão de luz utilizados nas áreas externas de grandes eventos, para a instrumentalização do laboratório. O novo equipamento permite a emissão de um feixe de luz retilíneo, definido e contido que forma um círculo sobre o painel a ser ensaiado simulando uma condição real de observação. “É basicamente um projetor que simula a luz do sol; ele é empregado para outras finalidades, mas fizemos uma adaptação em nosso sistema para o uso na emissão de um foco definido proveniente de uma lâmpada de xenônio, a qual se aproxima muito do espectro solar”, explica Sanchez Jr.

Segundo ele, a norma internacional é bastante rigorosa nos requisitos para avaliar a visibilidade, e o ensaio final mostrou-se interessante porque foi possível avaliar o painel pela reprodução de um ambiente noturno, sem luz de fundo, e também em um ambiente diurno com a simulação da iluminação solar.

GRAU DE PROTEÇÃO – Paralelamente aos ensaios de desempenho visual, o gabinete que abriga os módulos ópticos foi submetido a testes para verificação dos graus de proteção, que já faziam parte da rotina do Laboratório de Equipamentos Elétricos e Ópticos e são realizados em diversos tipos de produtos. Dois ensaios para verificação dos graus de proteção (IP 65) foram executados conforme a norma NBR IEC 60529.

O primeiro deles foi um teste para verificação da proteção contra a entrada de água, e o painel foi submetido a um jato d’água com um bico padronizado durante cinco minutos em todas as direções possíveis; o segundo teve como objetivo checar a proteção contra a entrada de poeira, e nesse caso o painel foi submetido à exposição de poeira (talco industrial), em uma câmara de poeira fechada durante oito horas. “Neste ensaio o sistema de resfriamento interno do equipamento foi mantido em funcionamento durante o ensaio. Foi comprovado que a quantidade de água no interior do painel não era suficiente para afetar o funcionamento e não houve penetração de poeira para o interior do equipamento”, afirma o pesquisador Luiz Eduardo Joaquim, responsável pelos testes.

“Com o sucesso dos ensaios, a Aspect Mídia acabou por qualificar os seus produtos em relação até mesmo às normas internacionais, com chances de exportar os painéis”, afirma Chieco. “Este é um mercado ainda em desenvolvimento no Brasil e, embora o fechamento dos negócios seja dependente das concorrências, customizações e negociações, o certificado de conformidade com os ensaios realizados é apresentado a todos os clientes”.

NOVOS MERCADOS – Além da oferta dos novos serviços, com o atendimento a um novo cliente do segmento de painéis, o desenvolvimento dos ensaios permitiu também ao laboratório a ampliação de seu escopo de atuação, como a execução de testes de caracterização de materiais retrorrefletivos usados em faixas de segurança de caminhões e em delineadores para guardrails (defensas metálicas das estradas), e o início da capacitação para a oferta no futuro de ensaios de materiais fotossensíveis ainda não executados no Brasil.