Pgina inicial do IPT   >  Notícias

Notcias


compartilhe


  06.08.15

Prmio ANP


IPT vence Prêmio de Inovação Tecnológica 2015 no segmento de petróleo, gás natural e biocombustíveis


Fontes: Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e assessoria do IPT

Uma cerimônia realizada no dia 06 de agosto no Palácio do Itamaraty, no Rio de Janeiro, premiou a boia de sustentação de risers (BSR), tecnologia que o Laboratório de Energia Naval e Oceânica do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) desenvolveu em parceria com a Petrobras, Coppe/UFRJ e a Subsea7 do Brasil. O projeto venceu a premiação da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) na categoria 'Inovação Tecnológica desenvolvida no Brasil por empresa fornecedora de grande porte do segmento de petróleo, gás natural e biocombustíveis em colaboração com empresa petrolífera'.

A homenagem é um reconhecimento ao trabalho de empresas e instituições de pesquisa que desenvolvem soluções inovadoras na área de abrangência da agência. Durante a cerimônia, a diretora-geral da ANP, Magda Chambriard, destacou a importância da iniciativa. "Nós temos certeza de que com trabalho, dedicação e persistência só podem surgir coisas boas. E essas coisas boas nos motivaram a conceder esse Prêmio ANP de Tecnologia, que visa reconhecer projetos que são valiosas contribuições para a indústria do petróleo, gás natural e biocombustíveis", afirmou.

O projeto vencedor consiste em uma boia submersa ancorada no fundo do mar por um conjunto de tendões. Boia é um elemento flutuante intermediário que funciona interligando um conjunto de risers flexíveis aos SCRs,
IPT realizou uma série de experimentos em tanque de provas, com diferentes geometrias da boia de sustentação de risers
 
que são risers rígidos que partem em catenária (sistema de suspensão dos risers) para o fundo do mar. O IPT realizou uma série de experimentos em tanque de provas, com diferentes geometrias da BSR, acompanhando o desenvolvimento do projeto. O sistema BSR permite que os movimentos do navio-plataforma não sejam transmitidos integralmente aos risers rígidos, que estão instalados entre os poços e a boia, reduzindo o esforço sobre eles e aumentando a vida útil mesmo em condições oceanográficas severas.

Esta tecnologia viabilizou o uso de risers com liner metálico para prevenir corrosão. A solução adotada possui custo mais baixo e sua utilização pode acelerar o início de produção dos poços, uma vez que a boia e os risers rígidos podem ser instalados antes da chegada da plataforma ao local da exploração.

A premiação contou com mais de 50 inscritos em três diferentes categorias. Na primeira delas - 'Inovação Tecnológica desenvolvida no Brasil por instituição de ciência e tecnologia (ICT) nacional' -, o ganhador foi o sistema autônomo de limpeza e inspeção de risers (AURI) desenvolvido pela PUC-Rio e Petrobras. A categoria de 'Inovação Tecnológica desenvolvida no Brasil por micro, pequena ou média empresa do segmento de petróleo, gás natural e biocombustíveis em colaboração com empresa petrolífera' teve como vencedor o projeto Boca de Sino Multifuncional (BSMF), da Petrobras, COPPETEC - COPPE/LACEO e Caldex.