Pgina inicial do IPT   >  Notícias

Notcias


compartilhe


  21.10.15

Segurana em sorteio


IPT desenvolve metodologia para sorteio mensal de prêmios em projeto do governo do estado do Paraná


Um software desenvolvido pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) foi o escolhido pelo governo do estado do Paraná para a realização dos sorteios eletrônicos de prêmios dentro do Programa Nota Paraná, da Secretaria Estadual da Fazenda. Os resultados positivos dos sorteios feitos nos programas Nota Fiscal Paulista, Nota Fiscal Paulistana e Programa Nota Salvador estimularam a Coordenação da Receita do Estado do Paraná a contratar o IPT para customizar a ferramenta que é usada desde 2008 e 2011 nos dois projetos em São Paulo, respectivamente, e desde 2014 na Bahia.

O software desenvolvido pelo IPT possui um algoritmo que pode ser considerado o ‘coração’ da ferramenta e é o responsável pela geração dos bilhetes premiados. “O algoritmo gera números aleatórios dentro de uma faixa pré-determinada, que são os bilhetes candidatos; assim, qualquer número tem a mesma chance de ganhar, ou seja, uma distribuição uniforme”, explica Antônio Carlos Amorim, pesquisador da Seção de Automação, Governança e Mobilidade Digital do IPT. Cerca de 250 mil prêmios em dinheiro devem ser distribuídos no Paraná no primeiro sorteio, que tem previsão de realização no mês de novembro, para um universo de aproximadamente um milhão de bilhetes e 500 mil cidadãos cadastrados.

Cerca de 250 mil prêmios em dinheiro devem ser distribuídos no Paraná no primeiro sorteio, que tem previsão de realização em novembro, para um universo aproximado de um milhão de bilhetes e 500 mil cidadãos cadastrados
 
O algoritmo público AES (de Advanced Encryption Standard) é considerado um dos mais adequados para a geração dos números e tem recomendação do National Institute of Standards and Technology, o NIST, dos Estados Unidos. As pesquisas realizadas por Amorim mostraram que o AES apresenta melhor uniformidade da distribuição, melhor aleatoriedade dos números gerados, maior imprevisibilidade das séries geradas e a possibilidade de gerar grandes quantidades de números sem repetição.

O algoritmo padrão de linguagem de programação, explica Amorim, apresenta problemas como a uniformidade ruim da distribuição, a possível previsibilidade das séries numéricas e a possibilidade de repetição de números ou mesmo sequências numéricas inteiras: “Em um sorteio de um milhão de prêmios, por exemplo, um algoritmo comum pode permitir a repetição de uma sequência inteira de bilhetes premiados, e não se deve premiar o mesmo bilhete duas vezes”. Qualquer documento fiscal emitido no estado permitirá a geração dos bilhetes para o sorteio, como cupons fiscais e a Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica (NFC-e).

Para a customização do software, a equipe do IPT está modificando ícones, textos da interface gráfica e outras características do programa, a fim de identificar o cliente, criando uma identidade visual, e adaptar o software às necessidades da Secretaria da Fazenda. Todo o software será encapsulado em um LiveCD de Linux, o que permitirá o uso em computadores sem qualquer sistema operacional, e no momento do sorteio o sistema operacional e o software serão carregados a partir do CD, a fim de garantir a segurança e evitar suspeitas da presença de informações gravadas no disco rígido que poderiam influenciar o sorteio.

Após o sorteio, todos os arquivos serão gravados em três pen-drives para distribuição à auditoria, à Secretaria da Fazenda e à Seção de Automação, Governança e Mobilidade Digital do IPT, a fim de fornecer dados para análise e emissão de relatório.

Além do software, a equipe do IPT oferece ao cliente todo o apoio para a realização do processo, incluindo recomendações sobre a complementação necessária à legislação, que deve ser publicada no Diário Oficial; definição do roteiro de sorteio, com as regras de segurança física e lógica; recomendações para validação do hardware e software, e o apoio para organização do cerimonial do sorteio, desde a guarda dos itens críticos com segurança até as orientações para integrar os dados dos bilhetes premiados nos sistemas.