Pgina inicial do IPT   >   Imprensa   >  IPT na mídia



IPT na mdia



compartilhe


  15.10.18

Contra os incndios


Pesquisador do IPT é entrevistado nos programas Como Será? e Câmera Record sobre prevenção e proteção


“A prevenção é parte da segurança contra incêndios: é tudo o que se faz para evitar que o foco do evento surja, incluindo a conscientização das pessoas dos riscos e os cuidados com instalações elétricas e de gás”, afirmou o pesquisador responsável pelo Laboratório de Segurança ao Fogo e a Explosões do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), Antonio Fernando Berto, no programa Como Será?, da Rede Globo, exibido no dia 22 de setembro.

Berto respondeu a uma série de perguntas de telespectadores, como os equipamentos e sistemas necessários para combate aos incêndios que devem ser observados pelos cidadãos em locais de trabalho ou de lazer, e o cumprimento de regulamentação pelos estabelecimentos dos padrões de segurança. Dúvidas da população sobre os cuidados nas residências para evitar incêndios também foram respondidas pelo pesquisador, como a localização de botijões de gás, a instalação de extensões e o carregamento de aparelhos celulares.

Berto também foi entrevistado pelo programa Câmera Record, da TV Record, em 7 de outubro, em uma edição especial sobre o incêndio no Edifício Joelma, ocorrido em 1974, mas que também tratou de eventos mais recentes de edificações que tiveram perdas ou foram destruídas pelo fogo, como o Museu Nacional, no último mês de setembro. Perdas irrecuperáveis do patrimônio aconteceram em agosto de 2008, quando o Teatro Cultura Artística em São Paulo foi totalmente destruído; em maio de 2010, o incêndio do Instituto Butantan destruiu parte do acervo científico; em novembro de 2013, o Anfiteatro do Memorial da América Latina foi extensamente danificado, restando apenas sua estrutura e, em fevereiro de 2016, parte do acervo da Cinemateca Brasileira foi perdido.

“Posso dizer que os sistemas de proteção contra incêndios no Brasil são, de modo geral, mal projetados, mal instalados e mal mantidos”, afirmou o pesquisador no programa. “Não há avanço a se atingir para se fazer algo pelas instituições”, completou ele.

Veja abaixo as entrevistas na íntegra: