Pgina inicial do IPT   >   Imprensa   >  IPT na mídia



IPT na mdia



compartilhe


  29.03.22

Economia circular


Integração da indústria e incentivos do governo são necessários para avançar na gestão das cadeias e dos resíduos, afirmaram palestrantes em seminário promovido pela Folha de S.Paulo


Alavancar a transição para a economia circular exige incentivo governamental e integração da indústria: a frase é da CEO da Exchange 4 Change Brasil, Beatriz Luz, que foi uma das participantes de seminário promovido pelo jornal Folha de S.Paulo e pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) no dia 22 de março. “Precisamos unir os elos da cadeia, caminhar juntos, trocar dados e criar um ambiente de confiança”, afirmou ela.
 
O caminho a percorrer é ainda longo: uma pesquisa de 2019 feita pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostrou que, dos executivos entrevistados, 70% deles afirmaram ter ouvido o conceito de economia circular pela primeira vez em razão do levantamento em questão.
 
A diretora de Inovação e Negócios do IPT, Claudia Echevenguá Teixeira, também participou do evento e enfatizou a questão da integração. Ela lembrou que uma medida importante para conter o aquecimento global é dar ênfase ao ecodesign, ou seja, produtos com vida útil prolongada e que consumam energia renovável, para o qual é necessária uma transformação no comportamento dos vários atores envolvidos: “Eles precisam trabalhar em rede para mudar a forma de se relacionar com o meio ambiente”.

O seminário contou ainda com a presença de Valesca Guimarães, gerente-executiva da Riachuelo, que tem um projeto em parceria com o IPT para desenvolver em larga escala a chamada circularidade em circuito fechado, o que permitirá transformar resíduos têxteis em novos fios para confeccionar novas peças de roupas – a intenção é reduzir o descarte e a dependência da matéria-prima virgem em um volume estimado de quatro mil toneladas de materiais têxteis por ano.

Participaram ainda do encontro Julio Nogueira, gerente de sustentabilidade e meio ambiente da Klabin, e Davi Bontempo, gerente-executivo de meio ambiente e sustentabilidade da CNI.
 
Leia abaixo a reportagem de cobertura do seminário publicada no jornal Folha de S.Paulo em 26 de março: