Pgina inicial do IPT   >  Notícias

Notcias


compartilhe


  07.11.18

Segurana no mar


Dados coletados em navios-plataforma informam condições do mar brasileiro, aponta pesquisador do IPT


Uma metodologia de calibração desenvolvida no Departamento de Engenharia Naval e Oceânica da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) pode proporcionar dados mais precisos sobre as condições do mar brasileiro. Concebido na tese de doutorado de Iuri Baldaconi da Silva Bispo, pesquisador no Laboratório de Engenharia Naval e Oceânica do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), o método utiliza dados captados por um navio-plataforma localizado na Bacia de Campos, na costa norte do estado do Rio de Janeiro, para o aprimoramento da estimativa de dados como a altura, período e direção das ondas, por exemplo.

Desde projetos de engenharia para a construção de pontes, portos e navios até a segurança da população brasileira que vive em áreas costeiras, o conhecimento detalhado das condições do mar é importante para prevenir falhas na estrutura e funcionamento dessas obras ou graves acidentes.
O FPSO Peregrino, da empresa Equinor, foi utilizado para a coleta de dados sobre as condições do mar na Bacia de Campos, RJ. Foto: Øyvind Hagen/ © Equinor
 
As embarcações do tipo FPSO, da sigla em inglês Floating Production Storage and Offloading (em tradução livre, unidade flutuante de produção, armazenamento e transferência), navios-plataforma que produzem, armazenam e transferem petróleo e gás, podem ser um instrumento para a captação de dados e a prevenção de desastres envolvendo obras e vidas humanas.

Baseando-se em medições, coletadas durante dois anos, de movimentos de um FPSO operando no Campo Peregrino, Bispo utilizou o método de inferência bayesiana para a obtenção de estatísticas de ondas que descrevessem com precisão as condições do mar em que o navio se encontra. O pesquisador, que também é matemático, explica: “O uso preferencial de inferência bayesiana se deu por considerar que, neste método, os próprios dados obtidos a cada nova coleta podem fornecer informações de como estes devem ser descritos matematicamente”.

Entre dezembro de 2014 e dezembro de 2016, Bispo, com o apoio da empresa petrolífera norueguesa Equinor ASA, recebeu medições dos movimentos do FPSO Peregrino. Em sua tese, intitulada Inferência bayesiana de ondas do mar a partir de movimentos de uma plataforma FPSO: uma nova metodologia de calibração validada com dados de campo e capaz de reduzir erros de estimação, o desempenho da metodologia criada foi avaliado através de medições realizadas por um sistema de radar marinho localizado a aproximadamente sete quilômetros de distância do FPSO, que serviu assim como base de comparação às estimativas obtidas.

Após a conclusão dos trabalhos, Bispo reforça que um dos benefícios do sistema apresentado em sua tese é que ele pode ser facilmente aplicado a todas as plataformas do tipo FPSO presentes na costa brasileira, obtendo estimativas de altura, período e direção de ondas em locais onde atualmente não existem dados. Sua principal vantagem é que pode ser operacionalizado a partir de equipamentos que já estão instalados nos navios, sem custos significativos de montagem ou manutenção. “Minha maior ambição com este trabalho é que possamos utilizar plataformas para obter informações com erros menores de mensuração sobre as condições do mar e fornecê-los para a comunidade científica, que carece de dados estatísticos sobre o tema”, finaliza.