Pgina inicial do IPT   >  Notícias

Notcias


compartilhe


  08.11.18

Combusto industrial


IPT ministra curso de combustão industrial na Gerdau com ênfase nos equipamentos e combustíveis utilizados


Um grupo de 22 profissionais da Siderúrgica Gerdau participou de um curso sobre combustão industrial, ministrado pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), no período de 22 a 25 de outubro. Os participantes trabalham na unidade da empresa em Ouro Branco, Minas Gerais, nas áreas de alto forno, coqueria e central termelétrica. O curso coordenado pelo pesquisador Renato Vergnhanini, do Laboratório de Engenharia Térmica, manteve alinhamento ao perfil tecnológico industrial da Gerdau.

O laboratório ministra cursos de combustão nas modalidades aberta e in-company regularmente desde 1986 - na segunda, o programa do treinamento é previamente ajustado com o cliente, para atender às necessidades particulares.
Participantes trabalham na unidade da empresa em Minas Gerais nas áreas de alto forno, coqueria e central termelétrica
 
Os assuntos abordados na Gerdau, explica o pesquisador, foram estequiometria das reações de combustão, expansão de jatos e combustão de gases, combustão de líquidos, trocas de calor em sistemas de combustão, poluição atmosférica e legislação ambiental, formação e abatimento de poluentes atmosféricos, balanços de massa e energia em processos industriais de combustão, e técnicas e instrumentos de medição da composição dos gases de combustão.

Segundo Verghanini, o curso abordou os equipamentos de combustão da área dos participantes, como fornos de coque, altos fornos e caldeira, e os combustíveis utilizados nos equipamentos, tais como alcatrão, gases siderúrgicos e carvão mineral.

Outros cursos de combustão industrial foram ministrados recentemente pelo laboratório nas siderúrgicas Ternium (ex-ThyssenKrupp) e Usiminas. Ainda neste ano, um novo curso será dado na Gerdau para a equipe de laminações da empresa. "O conhecimento do processo de combustão para a indústria permite operações com maior controle, eficiência, segurança e menor emissão de poluentes atmosféricos”, conclui ele.