Pgina inicial do IPT   >  Notícias

Notcias


compartilhe


  28.02.19

Cooperao em construo


IPT e Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP firmam acordo de cooperação técnica com foco em P&D e inovação


Em cerimônia realizada na diretoria da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP (FAU - USP) no dia 27 de fevereiro, foi assinado um acordo de cooperação técnica entre a universidade e o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT). As duas instituições foram representadas no ato, respectivamente, pela diretora Ana Lúcia Duarte Lanna e Fulvio Vittorino, diretor do Centro Tecnológico do Ambiente Construído do IPT. O acordo vigora pelos próximos cinco anos, podendo ser renovado. Os gestores da cooperação técnica são a pesquisadora Ros Mari Zenha, pelo IPT, e o professor José Eduardo Baravelli, pela FAU.

Para a diretora Ana Lúcia, é desejável ultrapassar com o conhecimento os limites da universidade:
Diretores Ana Lúcia Duarte Lanna e Fulvio Vittorino: ultrapassar os limites da universidade com o conhecimento
 
“Alcançar a sociedade em geral, assim como muitos dos nossos ex-alunos, beneficiará a todos. Esta aproximação é importante e bem-vinda, pois permitirá uma articulação entre sala de aula e laboratório.”

Vittorino enfatizou o interesse mútuo consolidado no acordo técnico: “Estamos lançando as bases de uma parceria sólida e, certamente, produtiva”; para Ros Mari, a cooperação “reforça o caráter público do trabalho do IPT que é também nossa missão; este acordo é, por isto mesmo, fundamental.”

OPORTUNIDADES – A pesquisadora do Centro de Tecnologia de Recursos Florestais do IPT, Lígia Ferrari Di Romagnano, apontou a necessidade de estudos consistentes de arborização para as cidades: “Florestas urbanas e madeira como elemento construtivo são temas relevantes.” Na mesma linha, a professora da FAU, Claudia Oliveira, indicou o momento oportuno para estudos de corrosão com a parceria do IPT: “Há muitas obras e edifícios, muitos deles tombados, construídos em concreto aparente. É importante realizar estudos de manutenção preventiva, que terá repercussão positiva na sociedade.”

O acordo começou a ser construído em setembro do ano passado. Entre os temas de estudo identificados pelo interesse mútuo incluem-se planejamento territorial, avaliação de impacto ambiental, áreas contaminadas, infraestrutura verde e mobilidade. Destacam-se ainda estudo e gestão de patrimônio histórico, ilhas de calor, acesso à informação inteligente, materiais, sistemas construtivos & desempenho das edificações, combate a incêndios, gestão responsável de utilidades, gestão & serviços ambientais e desenvolvimento de protótipos.