Pgina inicial do IPT   >  Notícias

Notcias


compartilhe


  22.03.19

Anlise de riscos


Equipe do IPT vai a Braúna, interior paulista, avaliar a estrutura e a segurança de ponte sobre córrego


Com o objetivo de analisar as condições de segurança estrutural de uma ponte localizada sobre o córrego Água Limpa, uma equipe técnica do Instituto de Pesquisas Tecnológicas foi até Braúna, município da região de Araçatuba, São Paulo, realizar um trabalho no âmbito do Programa de Apoio Tecnológicos aos Municípios (Patem).

Durante o projeto, que durou cerca de 30 dias, a equipe da Seção de Engenharia de Estruturas do IPT realizou inspeções e mapeamentos das principais anomalias existentes na obra, além de recomendações de intervenções necessárias a cada uma delas. A ponte, localizada próxima à entrada do município de cinco mil habitantes, tem interligações de acesso a duas rodovias importantes: Marechal Rondon (SP-300) e Assis Chateubriand (SP-425).

Diego Lapolli Bressan, pesquisador da seção e responsável pelo trabalho em Braúna, explica como funciona a dinâmica das atividades durante a análise das condições de pontes:
Ponte, localizada próxima à entrada do município de cinco mil habitantes, tem interligações de acesso a duas rodovias importantes de São Paulo
 
“A primeira etapa do trabalho consiste na realização de um levantamento geométrico-estrutural da ponte. Entender sua constituição é importante para que possamos saber os pontos críticos, identificar os problemas e indicar ações”.

Após o levantamento, segue-se a etapa de inspeção, para tentar identificar pontos da obra que apresentem problemas. Danos no pavimento de concreto, obstrução por vegetação, danos nas canaletas, exposição e corrosão de armaduras foram algumas anomalias encontradas na ponte em Braúna.

O pesquisador, porém, aponta que, das anomalias encontradas, a mais preocupante é a ruptura de um trecho provocada pela instalação inadequada de uma tubulação de concreto. No relatório entregue à Prefeitura de Braúna, o IPT recomenda que sejam tomadas medidas imediatas para evitar uma possível queda do trecho. “Os outros problemas encontrados também devem ser devidamente corrigidos, de modo a evitar que eles se tornem mais graves e prejudiquem a estrutura futuramente”, afirma Bressan.

Para finalizar, Bressan ressalta que trabalhos de manutenção preventiva, ou seja, feitos periodicamente e em estágios iniciais da deterioração, aumentam a vida útil da estrutura e apresentam custos menores do que aqueles feitos em caráter emergencial.