Pgina inicial do IPT   >  Notícias

Notcias


compartilhe


  29.05.19

Impacto ambiental


Fortes chuvas e maré alta na cidade de Peruíbe provocaram inundações e deslizamentos; Defesa Civil acionou IPT


As fortes chuvas que ocorreram na madrugada de 18 de maio no município de Peruíbe, no litoral paulista, associadas às condições de maré alta, causaram inundações em vários bairros. Segundo a prefeitura local, cerca de 400 pessoas ficaram desabrigadas. Houve deslizamento de solo e blocos de rocha na encosta da estrada vicinal para acesso ao bairro do Guaraú, principal ponto turístico da região, deixando isoladas cerca de 3.000 pessoas.

O Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) foi acionado emergencialmente pela Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil do Estado de São Paulo e esteve na área afetada entre os dias 18 a 21, e também no dia 23. As atividades do IPT já foram encerradas na área e um relatório será entregue ao órgão estadual, conforme relato do pesquisador Claudio Luiz Ridente Gomes, da Seção de Investigações, Riscos e Desastres Naturais, que participou do atendimento a Peruíbe.

A Prefeitura Municipal e a coordenadoria criaram um gabinete de crise, informa o pesquisador:
IPT realizou avaliações na cidade quanto à estabilidade de solo e dos blocos de rocha da encosta remanescente no entorno da área do deslizamento, assim como a situação de risco das moradias situadas à jusante da pista
 
"Ele era composto pela própria Defesa Civil estadual, Policiamento Territorial, Corpo de Bombeiros, secretarias municipais de Saúde, Educação, Assistência Social, Obras, Planejamento e Segurança Pública, entre outras, além do IPT e Departamento de Estradas de Rodagem (DER), visando coordenar as ações para atender a população atingida e verificar os riscos envolvidos”. Reuniões no final dos dias eram realizadas com o objetivo de verificar a situação de momento e planejar as ações a serem realizadas no dia seguinte.

TRABALHO EM CAMPO – Segundo Ridente, a Defesa Civil solicitou ao IPT uma avaliação dos riscos envolvidos e recomendações de medidas para desobstrução da pista: “O IPT disponibilizou técnicos especializados em Geotecnia, Recursos Hídricos e Geologia; eles atuaram nas questões relacionadas à segurança da operação de desobstrução da pista da estrada vicinal, avaliando as situações de risco quanto à possibilidade de novas ocorrências de movimento de massa e proteção aos trabalhadores que atuavam na operação.”

Foram realizadas avaliações quanto à estabilidade de solo e dos blocos de rocha da encosta remanescente no entorno da área do deslizamento, assim como a situação de risco das moradias situadas à jusante da pista. “Isto foi feito – explica Ridente – por meio de caminhadas na encosta, voo de helicóptero e análises de imagens de drone. Também foram recomendadas medidas estruturais (obras) e não-estruturais (ações) referentes à operação de desobstrução da pista, retirada de material instável das encostas (solo e blocos de rocha) e drenagem superficial da área afetada.”

O pesquisador destaca a importância que o conjunto de conhecimentos relacionados ao meio físico, tais como os de caráter geológico-geotécnico e do entendimento dos mecanismos dos processos de movimento de massa (solo e blocos), associados à execução de obras de engenharia, permite avaliar os riscos envolvidos e a sua minimização após a ocorrência de acidentes naturais, como no caso em questão.