Pgina inicial do IPT   >  Notícias

Notcias


compartilhe


  14.11.19

Manejo sustentvel de resduos


Pesquisadores do IPT ministram curso para tratamento de águas e resíduos na Universidade do Estado do Pará


Fonte: Universidade do Estado do Pará - Uepa

Aproximar a sociedade e as pesquisas tecnológicas, dividir conhecimentos e experiências sobre a destinação sustentável de resíduos da mandioca em ciclos de produção e circulação, bem como amparar ações voltadas ao auxílio de pequenos e médios produtores de mandioca do estado do Pará, em áreas urbanas e rurais, são os objetivos do curso Tecnologias de Tratamento de Águas e Resíduos, realizado por profissionais do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), do dia 4 até hoje, 14 de novembro, no Centro de Ciências Naturais e Tecnologia (CCNT) da Universidade do Estado do Pará (Uepa).

O curso é ministrado pela diretora do Centro de Tecnologias Geoambientais do IPT, Cláudia Echevenguá Teixeira, e pelo doutor em Engenharia Civil e pesquisador do Laboratório de Instalações Prediais e Saneamento do Instituto, Luciano Zanella, por meio do termo de cooperação técnica assinado entre Uepa e IPT no XVII Congresso Brasileiro de Mandioca, ano passado, em Belém.

O termo tem a duração de cinco anos e garante a mútua cooperação técnica, científica e acadêmica para o desenvolvimento de atividades de ensino, pesquisa e extensão entre IPT, o Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais e o curso superior de Tecnologia em Alimentos da Uepa, garantindo auxílio científico por meio de treinamentos, intercâmbios e consultorias.
Claudia: economia circular é uma alternativa de agregar valor aos resíduos, uma abordagem mais sustentável que gera receita e emprego. Crédito foto: Nailana Thiely/Ascom Uepa
 
Voltado para professores e pesquisadores das áreas de Ciências Ambientais e Tecnologia de Alimentos, o primeiro curso resultante da parceria pretende oferecer uma visão abrangente sobre manejo de águas e demais resíduos, incluindo aspectos normativos e tecnológicos de processos de tratamento, aliado aos conceitos de sustentabilidade, considerando a viabilidade econômica, social e ambiental.

A pesquisadora do IPT aborda no curso tópicos de gestão e gerenciamento de resíduos sólidos. Para ela, a principal contribuição que esse tipo de conhecimento pode trazer para a região é enxergar as possibilidades de integração da sociedade no manejo sustentável de resíduos orgânicos, tanto domésticos quanto da agroindústria, de modo a fechar ciclos de aproveitamento, sem o despejo arbitrário no meio ambiente. “Neste curso, expomos nossa experiência em um projeto de aproveitamento de água residuária da produção da fécula de mandioca, transformando as lagoas de estabilização em biodigestores. A economia circular é uma alternativa de agregação de valor a estes resíduos, uma abordagem mais sustentável, que gera receita e emprego. O objetivo é adaptar esta expertise à realidade da região”, disse.

Além da abordagem teórica, o curso inclui visitas técnicas a produtores de farinha e derivados da mandioca. Luciano Zanella é o responsável no curso pelos tópicos de tratamento de efluentes, que são resíduos provenientes das indústrias, dos esgotos e das redes pluviais, lançados no meio ambiente na forma de líquidos ou de gases.
Curso incluiu visitas técnicas a produtores de farinha e derivados da mandioca: segundo Zanella, a produção pode ser melhor adaptada para aproveitamento dos resíduos.
 
Para ele, a produção regional de farinha pode ser melhor adaptada para o aproveitamento de resíduos. “Apesar do engajamento de profissionais e do poder público local, verificamos que há melhorias que podem ser implantadas neste ciclo de agricultura de mandioca. Fomos visitar algumas farinheiras e verificamos que alguns esgotos gerados são lançados no próprio terreno. A forma como esse despejo vem sendo feito pode receber intervenção da universidade de maneira a evitar contaminações do solo, gerando melhorias na saúde da população”, avaliou.

Os desdobramentos práticos dos conhecimentos adquiridos no curso buscam envolver estudantes e professores em pesquisas aplicadas a pequenos e médios produtores de derivados da mandioca. Para o próximo ano, no âmbito do convênio, está prevista a busca de recursos para financiamento de projetos de pesquisa, selecionados por meio de edital. Há também uma parceria com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) e Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-Bio) para a articulação com comunidades e produtores locais.

Para o professor Werner Terrazas, coordenador do convênio Uepa/IPT, a expectativa é que o curso ofereça uma base para a criação de projetos para o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) e dissertações de mestrado da universidade. “A principal demanda das unidades de processamento de farinha da região é o destino adequado para os resíduos. Este curso fornece conhecimentos para uso de água e outros recursos dentro de certos padrões de qualidade, gerando efluentes e resíduos com padrões de qualidade que permitam sua disposição final com impactos dentro de limites aceitáveis”, concluiu.