Pgina inicial do IPT   >  Notícias

Notcias


compartilhe


  26.04.21

Desenvolvimento econmico em So Paulo


Equipe multidisciplinar do IPT buscará ampliar participação popular na formulação de plano estadual 


A busca pela ampliação da participação popular em importante instrumento de planejamento sobre o desenvolvimento econômico do Estado de São Paulo é o principal objetivo de um projeto iniciado no mês de março pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), a pedido da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo.


O projeto intitulado 'Diagnóstico participativo para o Plano de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo' tem por objetivo executar um levantamento interativo para fornecer subsídios complementares aos estudos técnicos elaborados no âmbito do Plano de Desenvolvimento Econômico (PDE) do Estado de São Paulo,
Projeto tem por objetivo executar um levantamento interativo para fornecer subsídios complementares aos estudos técnicos elaborados no âmbito do Plano de Desenvolvimento Econômico (PDE) do Estado de São Paulo, que está em desenvolvimento pela Fipe
 
que está em desenvolvimento pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

"Os resultados levantados pelo IPT trarão informações que irão enriquecer as análises da Fipe para as definições de ações e as políticas a compor o plano", explica Sofia Julia Alves M.Campos, gerente técnica do Laboratório de Recursos Hídricos e Avaliação Geoambiental, que lidera o projeto.

ATIVIDADES DO PROJETO - Serão quatro as principais atividades realizadas pelo IPT. A primeira será a coleta de dados, com os diferentes atores econômicos e sociais, que possam contribuir para o entendimento da realidade econômica do estado e de suas regiões administrativas.

O IPT dispõe de um grande acervo de informações sobre os municípios paulistas e capilaridade em instâncias de gestão regionais, como os Comitês de Bacia Hidrográfica e os Consórcios Municipais, além de parcerias com outras instituições atuantes nas diversas regiões do estado. "Essa rede existente deve facilitar as estratégias de mobilização a serem adotadas, bem como a coleta e a aproximação com grupos e atores sociais estratégicos à elaboração do plano", completa a pesquisadora e coordenadora do projeto, Caroline Almeida de Souza.

A segunda atividade será a identificação das oportunidades e desafios para o desenvolvimento econômico estadual e, consequentemente, a melhoria da qualidade de vida de seus habitantes, a partir das necessidades e das prioridades indicadas pela população. Ampliar a participação dos cidadãos nas questões de interesse coletivo é a terceira ação, a fim de aumentar a discussão sobre o assunto e embasar as decisões sobre formulação e definição de políticas públicas - será aberto um canal de comunicação e de registro de sugestões para a população do Estado, permitindo que qualquer cidadão se manifeste durante toda a vigência do projeto.

Finalmente, a equipe multidisciplinar do IPT terá como trabalho a priorização das dimensões previamente definidas no plano a fim de subsidiar a finalização das modelagens econômicas, a serem realizadas pela FIPE.

PANDEMIA - O contrato foi assinado no mês de março e as atividades iniciaram com a etapa de planejamento do trabalho, envolvendo a organização da equipe, o detalhamento das atividades e a definição de datas das oficinas, além da definição de ferramentas de coleta e de tratamento dos dados. O prazo de duração do projeto é de seis meses.

"A proposta foi concebida considerando o cenário da Covid-19 e formas inovadoras de consulta pública. As estratégias virtuais para coleta de dados ganham mais protagonismo e, indicam, também, desafios para que o envolvimento dos diversos atores sociais nas ações de governo seja, de fato, legítima", explica Souza. Devido à pandemia, não serão realizados trabalhos de campo.

MULTIDISCIPLINARIDADE - A equipe do projeto conta com profissionais da Laboratório de Recursos Hídricos e Avaliação Geoambiental, da Seção de Investigações, Riscos e Desastres Naturais e da Seção de Geotecnia.

Além destas, estão envolvidas a Coordenadoria de Serviços de Tecnologia da Informação do IPT, que dará apoio nas questões de proteção aos dados pessoais e formatação do hotsite do projeto; a Assessoria de Comunicação Corporativa, com apoio no material de divulgação, como convites para as oficinas participativas. Finalmente, a Coordenadoria de Gestão de Pessoas e o Centro de Tecnologia da Informação, Automação e Mobilidade participam das discussões sobre as ferramentas e a plataforma ideal para a realização das oficinas participativas de modo virtual.