Pgina inicial do IPT  >  Ensino / Cursos  >  Solues  >   Dissertaes

Ps-graduao IPT


Dissertaes


compartilhe

Determinao da criticidade em by-pass de barreiras de proteo em processos industriais com a utilizao da metodologia semiquantiativa LOPA (Layer of Protection Analysis)


por Tonini, George Andr


Estatistcas

Visitas: 270
Downloads: 25


Orientao: OLIVEIRA, Adriano Marim de

Ano: 2018

 A análise e gerenciamento dos by-pass (desativações temporárias) de barreiras de proteção em processos da indústria química são pontos fundamentais para que os cenários acidentais mapeados nas etapas de concepção de projeto permaneçam com seu risco controlado. O estudo da predição quanto a probabilidade de ocorrência de um cenário acidental, associado a técnicas de caráter mais quantitativo que contabilizam a taxa de falha das barreiras ainda em operação e das ações humanas tomadas durante a situação de desvio, permite uma maior assertividade na predição do risco residual do processo e também num dimensionamento mais adequados dos recursos a serem alocados durante o by-pass. Este trabalho teve como objetivo principal agregar a metodologia semiquantitativa LOPA (Layer of Protection Analysis) na avaliação de by-pass, levando em conta o peso das barreiras existentes e ainda ativas no processo e também o impacto das ações de contingência levantadas nos formulários de solicitação feitos na empresa Oxiteno SA Indústria e Comércio. A metodologia proposta foi diretamente aplicada nas solicitações de by-pass realizada no período entre janeiro a dezembro de 2017 na Unidade de Hidrogenação da planta Oleoquímica. A aplicação foi feita diretamente em uma planilha do Microsoft Excel®2013, que continha o racional da metodologia proposta, a qual avaliou as situações de by-pass quanto a seu risco puro (sem a consideração de barreiras), o risco residual, que considera a atuação das barreiras existentes no processo ainda ativas, e por fim o risco chamado de controlado, que contabiliza o impacto das ações de contingenciamento apontadas em cada formulário. Todos os níveis de risco foram determinados com base na Matriz de Aceitabilidade de Risco da Oxiteno. As barreiras e ações foram avaliadas quanto ao atendimento dos critérios de IPLs (Independent Protection Layers), para que então fossem atribuídas suas taxas de falha especificas, que pudessem assim atenuar a probabilidade de ocorrência (e consequentemente o risco) de um cenário acidental, enquanto que a severidade das consequências associadas ao by-pass foi determinada qualitativamente por um grupo multidisciplinar. Os resultados mostraram que a severidade dos cenários sofreu diminuição em seu nível, enquanto que para a probabilidade o resultado foi o inverso, visto que a metodologia proposta visa a análise individualizada da situação e by-pass, enquanto que a atual traz uma abordagem mais conservadora ao considerar a severidade e probabilidade do pior cenário acidental da APP (Análise Preliminar de Perigo) em que a barreira em by-pass estava contabilizada como salvaguarda. Mesmo decorrendo de uma menor probabilidade inicial, verificou-se que a mesma sofreu pouco impacto com a pontuação das barreiras existentes e das ações de contingência, pelo fato de que não há muitas barreiras de processo existentes com a mesma função daquela em by-pass e principalmente porque a grande maioria das ações de contingência não obedeceu todos os critérios de IPL Humano adotados neste trabalho. No entanto, mesmo com a obtenção de riscos maiores, os resultados para a criticidade dos by-pass foram muito semelhantes quando comparadas as metodologias, visto que o critério atual da empresa é conservador e estático, ou seja, não considera a análise individual do cenário de by-pass, ressaltando que a nova abordagem é mais dinâmica na avaliação da criticidade, avaliando melhor todos recursos existentes e os propostos. Como parte dos resultados, foi elaborada uma planilha de avaliação automatizada com uma máscara de interface amigável, permitindo a maior difusão na utilização da metodologia proposta por diferentes usuários.


Acesse: cassiopea.ipt.br/teses/2018_PI_George_Tonini.pdf