Segmentos de mercado

Pgina inicial do IPT   >   Unidades de Negócios   >   Cidades, Infraestrutura e Meio Ambiente   > Notcias

  27.04.22

Podas mais sustentveis

compartilhe


Parceria entre IPT e FAU/USP busca alternativas de uso para troncos, galhos e folhas provenientes de podas em árvores urbanas
 


Para aumentar as alternativas de uso dos resíduos de poda de árvores urbanas, como troncos, galhos e folhas, o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) e a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU/USP) iniciaram em setembro de 2021 um projeto de cooperação técnico-científica que busca a promoção de diversos serviços ambientais, como a transformação dos resíduos em produtos de maior valor agregado, o aumento da vida útil de aterros sanitários, a conscientização ambiental e a difusão do conhecimento da biodiversidade no ambiente urbano.
 
 
A inovação pensada no projeto da cidade do litoral norte paulista se refere à transformação dos resíduos em produtos (conforme sua viabilidade técnica) como no uso estrutural para a fabricação de móveis e pequenos objetos; em relação à questão da sustentabilidade,
Projeto de cooperação busca a promoção de diversos serviços ambientais, como a transformação dos resíduos em produtos de maior valor agregado e também o aumento da vida útil de aterros sanitários
 
ela entra na redução de destinação de resíduos a aterros sanitários, o que pode ampliar a vida útil deles, e na estimativa do carbono estocado nestes produtos e que não será liberado para a atmosfera durante a sua vida útil, “um benefício para a mitigação das mudanças climáticas”, explica a pesquisadora Caroline Almeida Souza, da Seção de Planejamento Territorial, Recursos Hídricos, Saneamento e Florestas do IPT.
 
A cooperação entre IPT e USP promete ampliar as oportunidades de reaproveitamento buscadas pelo estudo em Bertioga e surgiu a partir de uma reunião da equipe do projeto ‘Valorização de resíduos lenhosos provenientes do manejo arbóreo: Contribuição à gestão para a sustentabilidade no Campus Armando Salles de Oliveira da Universidade de São Paulo’, em execução pela FAU, com os pesquisadores do Instituto – a intenção era identificar sinergias e vislumbrar uma parceria visando aperfeiçoar os resultados de ambos os estudos.
 
“Percebeu-se nesta reunião que, apesar de os objetivos de ambas as instituições terem similaridade, ou seja, buscarem alternativas de uso de resíduos da poda urbana com maior valor agregado, cada instituição estava se concentrando em executar atividades associadas à sua expertise”, explica Souza.
 
A partir da compreensão das capacitações de cada um dos grupos, as duas instituições definiram os papeis a serem executados no novo projeto: o IPT está se concentrando em definir as características dos resíduos, bem como caracterizar os processos de poda, logística e destinação final dos resíduos, a fim de indicar as rotas tecnológicas mais adequadas de acordo com critérios técnicos, ambientais e econômicos.
 
Por outro lado, a equipe da FAU dará ênfase às fases de manejo arbóreo e de caracterização da cadeia produtiva e do material lenhoso que, para o projeto, se concentra nos resíduos provenientes do campus da Universidade de São Paulo, localizado no bairro do Butantã, e também em outros originários da cidade de Bertioga, além de processos e técnicas de transformação dos resíduos em produtos.
 
“A recuperação de recursos e a reciclagem fazem parte das ações em prol da economia circular”, afirma a diretora de Inovação e Negócios do IPT, Claudia Echevenguá Teixeira.
Projeto inclui o envolvimento de alunos da FAU por meio de iniciação científica...
 
“O resíduo de poda é um bom exemplo de insumo circular, pois é um material renovável; contudo, para que a economia circular aconteça, é necessário viabilizar a escala do processo de reciclagem e a geração de emprego e renda. O projeto em parceria entre o Instituto e a FAU é promissor em prol da circularidade”.
 
INICIAÇÃO CIENTÍFICA E SOCIEDADE – Está incluído no projeto o envolvimento de alunos da FAU por meio de iniciação científica, em estudos voltados à prototipagem de modelos e produtos com a madeira proveniente de podas urbanas com ênfase na aplicação de conceitos de biomimética, assim como de aplicações de madeira maciça de pequenas dimensões em componentes construtivos, de compósitos formados por resina poliméricas e resíduos de poda, e finalmente de prototipagem em design com emprego de tecnologias subtrativas de fabricação digital e materiais renováveis. 
 
Os parceiros têm ainda a intenção de envolver a sociedade no projeto, por meio de cursos de qualificação profissional e de workshops em colaboração com parceiros externos, disseminando os resultados e fazendo a transferência de tecnologia por meio de oficinas práticas com diversos públicos. 
 
“O conhecimento sobre os resíduos pode ainda permitir às prefeituras a sua utilização dentro de projetos sociais, gerando ocupação e renda para as populações menos favorecidas de municípios brasileiros”, explica Souza.
...em estudos voltados à prototipagem de modelos e produtos com a madeira proveniente de podas urbanas com ênfase na aplicação de conceitos de biomimética, assim como de aplicações de madeira maciça de pequenas dimensões em componentes construtivos.
 
“Além disso, o projeto pretende funcionar como um instrumento de conscientização ambiental e difusão do conhecimento da biodiversidade no ambiente urbano para a comunidade universitária e a população em geral”, completa Cyntia Santos Malaguti de Sousa, professora da FAU.
 
 
Por parte da FAU, estão envolvidos no projeto a equipe Podalab, a Seção Técnica de Modelos, Ensaios e Experimentações Construtivas (STMEEC) e o Laboratório de Materiais (LABMAT), vinculados ao Departamento de Tecnologia da Arquitetura da FAU/USP. 
 
O projeto de cooperação técnica entre IPT e FAU/USP tem previsão de finalização em fevereiro de 2023.
 
 

 
Mais sobre esta unidade
 
Contato
  • Central de Relacionamento com o Cliente
  • ipt@ipt.br
    Tel.: (11) 3767-4000